Notícias

Outros

Roger Federer: “Dificilmente jogarei Wimbledon em 2022”

Federer

Federer admite que não voltará a jogar tão cedo

Roger Federer, um dos maiores de todos os tempos do tênis, vê seu fim de carreira próximo. E isso é muito por conta das lesões, sem jogar desde Wimbledon, quando foi derrotado por Hubert Hurkacz nas quartas, o suíço não tem previsão para voltar a jogar. Ele passou por operação em seu joelho, e não vai pode correr até janeiro. Sendo assim ele estará fora do Australian Open, e dificilmente jogará até Wimbledon, como ele afirmou em entrevista a jornais suíços.

Sobre o retorno as quadras

“Só poderei correr em janeiro e não poderei treinar na quadra até março ou abril. Ficaria muito surpreso se viesse jogar em Wimbledon (2022) ”, revela o suíço, que não perde as esperanças de ter uma última dança e afirma estar colocando todo o seu“ coração e alma ”nesta última tentativa.

Motivação para voltar

“Não me importo se volto em 2022 ou 2023, 40 ou 41 anos. A pergunta que me faço é se serei capaz de me torturar todos os dias antes de voltar. Hoje meu coração me diz que sim. Embora saiba que o fim está próximo, gostaria de tentar fazer novamente alguns jogos mais importantes ”, confessa Roger.

Federer sobre a lesão

“Eu queria esperar pelo primeiro grande check-up antes de tornar essas declarações públicas. O check-up correu bem. Será um longo processo de reabilitação e a situação não é a mesma de 2016. Preciso ter paciência ”, continua. “Os testes que fiz, depois de Wimbledon, determinaram que o menisco interno do joelho estava lesionado novamente. Eles tiveram que costurar em mim, o que exigiu um período de imobilização. Lá, os médicos também trataram da minha cartilagem ”.

Se vai poder voltar jogar tênis profissional

“Ninguém sabe, nem os próprios médicos (se amanhã ele vai poder lutar pelo Slams). Eu, ainda espero. Meu mundo não entrará em colapso se isso não acontecer de novo, mas meu sonho agora é poder voltar. Eu acredito nesses tipos de milagres porque já os vi. Gostaria de ver novamente o que posso alcançar como tenista profissional ”.

Sobre a aposentadoria

O que Federer se apega é que, apesar de ter passado mais de um ano de hiato e com desconforto nos joelhos, conseguiu fazer a segunda semana em dois Grand Slams e ficar entre os oito primeiros do torneio de Wimbledon, embora seja. É verdade que no torneio de Londres deixou uma imagem preocupante no último jogo contra o Hurkacz. “O mais fácil para mim seria dizer: ‘Vamos parar’, mas mereço mais do que a imagem que deixei no último jogo que fiz. Esta é a minha forma de dizer aos fãs ‘Obrigado’. Eles merecem uma imagem melhor do que a que viram de mim em Wimbledon ”, diz ele.

Federer sobre se despedir em quadra

Com apenas 19 jogos disputados em duas temporadas, Roger Federer não está totalmente desesperado. Ele quer, pelo menos, voltar a jogar numa quadra de tênis. Seu amor pelo tênis o faz querer trabalhar muito para ter uma despedida digna. “Tenho dificuldade em tomar a decisão (de me aposentar). Eu gostaria de poder decidir o momento. Isso é algo muito pessoal, todos nós queremos que eu possa me despedir do meu jeito na quadra de tênis ”, afirma.

 

Esportes Mais

Facebook

Imagem em destaque: Getty

Deixe uma resposta