Notícias

Matérias Especiais

Copa do Mundo 2018: Espanha

Grupo B – Especial Copa do Mundo

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Neste texto, iremos falar sobre a La Fúria, a grandiosa seleção espanhola, que vem recuperando seu bom futebol. Vamos apresentar a seleção, falar um pouco de sua história e, por fim, algumas curiosidades. Confira:

A seleção

Com formação em 1920, a Seleção Espanhola é uma das grandes forças dos tempos modernos. Entretanto, sua primeira aparição de sucesso foi logo no ano de sua criação. Jogando as Olimpíadas de Antwerp, na Bélgica, os espanhóis conseguiram uma medalha de prata. Esta foi a primeira competição jogada pelo país, que teve sua seleção criada para a disputa dela.

O primeiro gol oficial marcado pela Espanha foi de Patricio Arabolaza, contra a Dinamarca. O jogo, disputado pela competição citada acima, terminou em 1-0 para os ibéricos. Após isso, os espanhóis já ganharam um ouro nas Olimpíadas, em 1992, em Barcelona. Com 6 vitórias em 6 partidas, os donos da casa bateram a Polônia, por 3-2, na final e sagraram-se campeões. Tal seleção contava com nomes como Santiago Cañizares, ex-goleiro do Valencia, Pep Guardiola, Luis Enrique, entre outros.

Além da glória olímpica, a Espanha ainda dominou a Europa por 3 vezes. Primeiro, em 1964, quando bateu a fortíssima URSS, do lendário goleiro Lev Yashin, por 2-1 na final. Depois, em 2008, dando início a um domínio espanhol mundo afora, Luis Aragonés e cia, dominaram o velho continente ao baterem a Alemanha, por 1-0, na final. Por fim, em 2012, fechando o ciclo vitorioso, que teve uma Copa no meio, a Espanha tornou-se tri europeia. Com direito a baile contra a Itália na final, a La Fúria goleou por 4-o e levantou o caneco.

História na Copa

A primeira Copa do Mundo jogada pela Espanha foi em 1934, na Itália. A equipe até foi chamada para a disputa do mundial de 1930, no Uruguai, porém, assim como a maioria dos países europeus, recusou o convite. Na época, a federação justificou que o alto custo das despesas teria pesado e não teriam condições.

Em seu primeiro mundial, os espanhóis disputaram somente “duas” (logo será explicado) partidas. Disputado em sistema eliminatório, iniciando já nas oitavas de final, a Espanha bateu o Brasil, por 3-1, em seu primeiro jogo. Entretanto, caiu nas quartas para a anfitriã, Itália, em dois jogos (caso tivesse empate, tinha outro jogo para definir o classificado). No primeiro duelo, empate em 1-1, com Giovanni Ferrari marcando para a Itália e Luis Regueiro para os visitantes. E, no jogo desempate, os italianos venceram por 1-0, com gol de Guiseppe Meazza, lenda dos nerazzurri e rossoneri.

Êxitos da seleção espanhola e atuação no último mundial

Em 1950, a Espanha obteve, até ser campeã, sua melhor colocação, um 4º lugar na Copa. Após vários anos de fracassos e decepções, times que chegavam como candidatos e não conseguiam muito, os espanhóis obtiveram a glória máxima do futebol. Com um time base do Barcelona de Guardiola, em momentos com até 7 jogadores blaugranas na equipe, a Espanha conquistou a Copa do Mundo em 2010. Após perder na estreia para a Suíça, a equipe não perdeu mais e, na final, bateu a Holanda por 1-0, com um gol de Iniesta, na prorrogação.

Na última Copa, por estar em período de transição, a aparição da Fúria foi um fracasso. Logo na estreia, o time foi atropelado pela Holanda, em revanche da última final, perdendo de 5-1. Então, precisando ganhar para se manter vivo, jogou contra o Chile e perdeu, por 2-0, acabando eliminada. No último jogo, jogando pela honra, os espanhóis bateram a Austrália por 3-0 e garantiram sua única vitória. Teria, enfim, acabado o reinado espanhol pelo mundo? Talvez, porém, a maré está mudando e o Sol está voltando a nascer na Península Ibérica.

A estrela

Este é um tópico bem interessante, como a grande estrela da Espanha é o coletivo, ele será valorizado agora. A seleção possui grandes nomes, como Iniesta, Sergio Ramos, Isco, De Gea, Pique, são tantos, mas falaremos de 3 deles. Primeiramente, o capitão, Sergio Ramos, que, para muitos, é o melhor zagueiro do mundo. Como sabemos, é um jogador decisivo e seguro que, ao lado de Piqué, tem tudo para formar uma parede defensiva. Além de que, se a Espanha estiver precisando de uma vitória no fim, é só o chamar… Os colchoneros bem sabem…

Agora, voltando um pouco na escalação, impossível não falar de De Gea. Novamente, para muitos, é o melhor goleiro do mundo, destaque do Manchester United e titular absoluto em sua seleção. O goleiro acaba de ganhar a luva de ouro da Premier League, por ter passado mais jogos sem sofrer gol, 18 ao todo. Inspira confiança e sabe sair jogando com os pés, tudo o que o futebol espanhol exige de um goleiro. Tem tudo para ser um dos destaques da Copa do Mundo, quando exigido.

Por fim, mas não menos importante e até mais importante que qualquer um no país, Andrés Iniesta. Único, espetacular, fora de série, de outro mundo, extraordinário, surreal, incrível, atemporal. Okay, a paixão falou um pouco mais alto, mas todos temos conhecimento da importância dele para o futebol. Iniesta, que para muitos é o verdadeiro Rei da Espanha, é reverenciado em todo e qualquer gramado espanhol por seu gol marcado em 2010, garantindo o primeiro título mundial de seu país. O jogador declarou recentemente que irá aposentar-se da seleção após a competição, então, só devemos apreciar o momento.

O treinador

Nascido em 28 de agosto de 1966, Julen Lopetegui Argote é de Asteasu, município do país Basco. O, hoje treinador, começou sua vida futebolística no Real Madrid Castilla, como goleiro. Chegou a ser promovido para o time principal, porém jogou somente uma partida. Após isso, foi emprestado ao Las Palmas, onde jogou 31 partidas em 2 temporadas, depois, rumou para o Logroñés, antigo clube espanhol, e atuou em 107 jogos durante 3 temporadas. Em 1994, chegou ao Barcelona, porém, sem sucesso, foram apenas 5 partidas em 3 anos. Por fim, jogou no Rayo Vallecano, por 5 temporadas, realizando 112 jogos.

Começou sua trajetória como técnico no time que encerrou a carreira, o Rayo. Em seu primeiro cargo, pegou o time na segunda divisão do espanhol, sendo mandado embora após 11 rodadas, devido a maus resultados. Então, passou um tempo como comentarista, voltando à beira do campo em 2008, pelo RM Castilla. No Real, ficou só uma temporada, após não conseguir subir de divisão. Em 2010, assumiu as categorias de base da Espanha, conseguindo conquistar o europeu sub-19, em 2012, e o europeu sub-21, em 2013.

Após o sucesso, foi para o Porto, de Portugal, onde não obteve títulos e ficou até 2016, quando assumiu a Espanha. Pela seleção espanhola, até agora são 18 jogos, com 13 vitórias e 5 empates. Entre tantas vitórias, pode-se destacar a contra a Itália, pelas eliminatórias, e o sonoro 6-1 contra a Argentina, em amistoso. Além disso, são 59 gols a favor e somente 12 contra. E há quem diz que a Espanha não é favorita nesta Copa do Mundo…

Como se classificou?

A Espanha teve a 3ª melhor campanha das eliminatórias europeia da Copa, com 28 pontos. Isso significa que o país teve 9 vitórias e 1 empate durante a qualificatória. Ficando atrás somente da Alemanha, com 30 pontos, e da Bélgica, também com 28, mas com saldo maior. Sua campanha iniciou com um 8-0 em Liechtenstein, seu melhor resultado na competição. Logo após, veio seu único resultado diferente de uma vitória, um empate em 1-1, contra a Itália, no país adversário.

Depois disso, só vitórias para La Fúria. Uma contra a Albânia, no leste europeu, por 2-0. Então, recebeu a Macedônia, que goleou por 4-0, e Israel, que goleou por 4-1. Após dois jogos em casa, foi visitar os macedônios e ganhou por 2-1. No segundo jogo contra a Itália, agora em casa, os espanhóis não tomaram conhecimento dos rivais e passaram o trator num 3-0 que ficou barato. O duelo praticamente definiu a classificação do país à Copa.

Agora, já ouviram aquele ditado “vira 3, acaba 6”? Se não, perguntem a Liechtenstein (risos). No jogo de volta, contra o desfavorecido rival, a Espanha aplicou outro 8-0, deixando 16-0 na soma dos resultados. Após tamanha soberania, restaram só dois jogos. Uma vitória por 3-0 contra a Albânia, e um placar mínimo contra Israel fizeram a La Fúria encerrar seu ciclo. Só resta esperar a Copa do Mundo começar.

Curiosidades

A seguir, serão expostas algumas curiosidades a respeito da seleção espanhola, a maioria delas em Copa do Mundo, vale a pena conferir:

  • Segunda seleção a ser campeã fora de seu continente – Brasil (1958, 2002);
  • Todos os gols de sua campanha de título foram de jogadores do Barcelona (5- Villa, 2- Iniesta, 1- Puyol);
  • Apenas a 3ª seleção a não ser campeã invicta (Alemanha em 1954 e 1974, Argentina em 1978);
  • Menor número de gols sofridos em uma Eurocopa – 1 gol em 6 jogos;
  • É a campeã com pior ataque da história das copas – terminou com 8 gols.
  • Também é a campeã com a melhor defesa – 2 gols sofridos (França – 1998, Itália – 2006);
  • Primeira seleção a ganhar todos os jogos da eliminatória europeia em 10 partidas – 2010 (Alemanha – 2018);
  • É a seleção com maior número de gols contra em Copas – 3 (México, Bulgária);

Finalizando, esse foi o especial sobre a Espanha para a Copa do Mundo da Rússia. Esperamos que tenham gostado e que acompanhem os outros!

Ficha do país

Capital: Madri;

Número de habitantes: 46.549.045, segundo o INE (Instituto Nacional de Estadística);

Participações em copas: 14 aparições;

Melhor participação: Campeã (2010);

Time base: De Gea; Carvajal, Sergio Ramos, Piqué, Jordi Alba; Busquets, Iniesta, David Silva, Isco, Thiago; Diego Costa.

Posição última copa: Fase de grupos;

Ranking Fifa: 8ª, Ranking de 12 de abril de 2018.

Jorge Ribeiro (65 Posts)

Futuro jornalista. Esportes Mais é o poder.


Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Deixe uma resposta