Notícias

Futebol Internacional

Boca Juniors e River Plate fazem clássico na Bombonera

Nicolas Colazo, Teofilo Gutierrez

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

O maior clássico da Argentina tem mais um capítulo nesse domingo; Boca e River se enfrentam em La Bombonera

Boca Juniors
Boca Juniors recebe seu rival River Plate

 

Conhecido pelo clássico de maior rivalidade no mundo, Boca Juniors e River Plate se enfrentam mais uma vez. Nos dois superclássicos disputados neste ano, o River venceu os dois. Os comandados de Gallardo ganharam a supercopa Argentina contra o Boca.

Boca Juniors e River Plate se enfrentam neste domingo (23/09), ás 17:45 horário de Brasília e Buenos Aires. A partida irá valer pela sexta rodada do campeonato argentino, e La Bombonera será o palco para o duelo. Uma vitória milionária, deixa a equipe com a mesma pontuação do Boca; uma vitória Xeneize faz com que se aproxime da liderança e abre distância para o rival.

O último Boca e River na Bombonera foi favorável ao River. Com grande atuação de Driusse, o River fez 3 a 1 no Boca. Um detalhe: Desde 2015 só os visitantes venceram o superclássico. Na temporada passada o clássico foi disputado no Monumental, e o Boca venceu por 2 a 1.

Os bosteros ainda não venceram seu rival no ano. Foram dois clássicos, com duas vitórias dos riverplatenses. Pior do que perder, foi perder um título para o rival. O River fez 2 a 0 na Copa Argentina e foi campeão contra o Boca. Os Xeneizes podem acabar com a sequência já nesse domingo.

Competições que as duas equipes fizeram grandes jogos

Copa Libertadores 1978

No ano de 1978, pela primeira vez na história, Boca Juniors e River se enfrentaram num mata-mata da maior competição de clubes da América. O duelo aconteceu na fase de semifinal e o Boca levou a melhor empatando o jogo de ida no Monumental por 1 a 1 e com uma vitória simples por 1 a 0 na volta.

Supercopa 1994

Além de disputas na Libertadores e Sul-Americana, Boca Juniors e River já se enfrentaram também pela extinta Supercopa da Libertadores, em 1994. O duelo foi válido pela fase de quartas de final e foi marcado pelo equilíbrio e enorme clima de rivalidade. O jogo de ida disputado no Monumental de Nuñez terminou empatado em 0 a 0. No jogo da volta os rivais voltaram a a empatar; 1 a 1 na Bobonera, com gols de Carranza para o Boca e de Francescoli a favor dos Millionários. Com esse resultado a partida foi decidida nos pênaltis e o Boca foi quem saiu vitorioso, pelo placar de 5 a 4.

Copa Libertadores 2000

22 anos depois o Boca volta a eliminar o rival em mais um duelo de mata-mata pela Libertadores. O confronto era válido pelas quartas de final e o River até conseguiu vencer o jogo de ida no Monumental por 2 a 1, mas sucumbiu no jogo de volta diante do maior Boca de todos os tempos, perdendo a partida por 3 a 0, mas ainda assim jogando com muita dignidade, o que fez a partida ser bastante equilibrada e emocionante, já que o River desperdiçou claras oportunidades de gol.

Copa Libertadores 2004

Em 2004 o bravo time do River teve mais uma vez a infelicidade de encontrar pelo caminho o Boca Juniors de Tévez, Guillermo e companhia, visto como o melhor de todos os tempos. No jogo de ida vitória do Boca Juniors na Bombonera por 1 a 0 em uma partida que foi marcada pela briga entre os jogadores rivais. No jogo de volta o River venceu por 2 a 1 com direito a provocação do jogador Xeneize Tévez que imitou uma galinha ao comemorar o gol, e que posteriormente seria expulso da partida, resultado que levou a decisão para os pênaltis, na qual o goleiro Abbondonzieri teve uma atuação inspirada a favor do Boca, que saiu vencedor do duelo.

Sul-Americana 2014

Em 2014, com a chegada de Marcelo Gallardo no comando do clube, o River volta a viver momentos de glória e conquista seu primeiro título internacional após 17 anos na fila. O feito foi ainda mais marcante depois da vitória que eliminou o rival Boca Juniors na semifinal por 1 a 0 (o jogo de ida em La Bombonera havia terminado empatado em 0 a 0).

Libertadores 2015

No ano seguinte o Boca pagou de vez sua dívida histórica com o rival, sofrendo sua segunda eliminação para o rival em dois anos. Desta vez o confronto era válido pelas oitavas de final da Libertadores. O jogo de ida no Monumental terminou com vitória do River por 1 a 0 e na volta empate sem gols num jogo marcado pela violência da torcida do Boca que jogaram spray de pimenta no vestiário dos jogadores do River durante o Intervalo.

Com vantagem feita na Libertadores, Boca só pensar em vencer rival. Andrada só em 2019. 

Mesmo com a polêmica na vitória do Boca sobre o Cruzeiro, a equipe fez uma boa partida e mereceu o resultado. O Boca leva uma vantagem de perder até por 1 a 0 para passar de fase.

Shcelotto mandará o que tem de melhor para o jogão. Praticamente será a mesma equipe que atuou diante do Cruzeiro, com a exceção de Andrada e Olaza. Andrada precisou fazer uma cirurgia no maxilar e só volta em 2019. Olaza sentiu um desconforto muscular e fica de fora também.

Um ponto positivo para o Boca será Cardona. O meia saiu do treinamento da quinta-feira (20/09) mais cedo, mas foi relacionado e deve ser opção.

Guillermo falou sobre o clássico

Sobre o que ele espera do jogo, o treinador disse: “Quem vencer ou perder no domingo não terá consequências em seu futuro. Ultimamente contra o River foram partidas abertas e jogando em casa vamos procurá-lo, será um jogo muito atraente”.

Perguntado pelo retorno de Rossi para o gol, Guille disse: “O goleiro vai ser Rossi, não tenho dúvidas sobre Rossi, o que me faz duvidar é ter atrás de si dois jogadores que ainda não estrearam. Ele tem a nossa confiança, sabemos que ele vai parar e eu acho que ele vai fazer as coisas direito”.

Barros Schelotto falou sobre como enfrentar esse tipo de encontros: “Em uma partida de futebol você deve considerar todas as condições que um jogador de futebol deve ter, personalidade, condição física, mentalidade, colocar em benefício da equipe, mas é sempre Acima de tudo, a qualidade do jogador, o melhor vai ganhar no domingo”.

River vem com força máxima também

O River deve vim com a mesma equipe que empatou diante do Independiente. A equipe conseguiu um bom resultado na Libertadores e vencendo avança para próxima fase da Libertadores.

Gallardo mandará sua força máxima para o superclássico. Com um retrospecto diante do Boca, o técnico quer manter esse bom rendimento e alcançar seu rival em número de pontos.

Ambas equipes podem fazer uma final histórica de Libertadores. Se passarem por essas duas fases, River e Boca podem se enfrentar na final e fazer uma final histórica.

Gallardo falou sobre a equipe que vai a campo e sobre o que representa um clássico dessa magnitude

Sobre a equipe, Gallardo disse: “Vou definir a equipe de acordo com como eles estão recuperados na quarta-feira e avaliando algumas situações sobre o rival”, disse Marcelo Gallardo.

Sobre a magnitude do clássico, o técnico falou: “Superclasicos são boas experiências para viver. Além das primeiras experiências de alguns que ainda não jogaram este jogo, mas a equipe já sabe como assumir esses tipos de compromissos e há tranquilidade e confiança. Existe uma boa energia. É sobre viver assim, pelo menos o anterior”, conclui o DT.

Ficha técnica – Boca Juniors X River Plate

Local: Estádio La Bombonera, Buenos Aires-Argentina.

Horário: 17:45 horário de Brasília e Buenos Aires.

Árbitro: Mauro Vigliano.

Boca Juniors: Rossi; Jara, Izquierdoz, Magallán, Más; Barrios, Nandez, Pablo Pérez, Zárate; Pavón e Tevez. Técnico: Guillermo Barros Schelotto.

River Plate: Armani; Montiel, Maidana, Pinola, Casco; Ponzio, Palacios, Quintero, Martínez; Borré e Pratto. Técnico: Marcelo Gallardo.

Roma
Clique na imagem para acessar o site
Enzo Matheus (244 Posts)


Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Deixe uma resposta