Notícias

Futebol Internacional

Sem modéstia, Cristiano Ronaldo autoproclama-se melhor do mundo: “Sou o melhor e não tenho defeitos”

Em entrevista, Cristiano Ronaldo afirma que ainda é o melhor jogador do mundo

Eleito terceiro melhor jogador do mundo pela FIFA, Cristiano Ronaldo ainda é tratado como o melhor por alguns. Inclusive, por ele mesmo.

O jogador confirmou isso em uma entrevista recente, quando falou, sem modéstia, que era o melhor jogador do mundo e que não tinha defeitos.

“O melhor neste momento sou eu, não tenho defeitos. No próximo ano vamos ver, eu amo tudo sobre a Juventus e a cultura italiana, estou feliz aqui e quero jogar mais alguns anos, é a minha prioridade ”, diz ele sobre sua permanência no time de Turim.

Apesar de ter conquistado títulos por diversos clubes e ser penta campeão da Champions, para CR7 o troféu mais importante de sua vida é a Eurocopa com a Seleção de Portugal.

“A Eurocopa foi o troféu mais importante da minha carreira. Eu ri, chorei, treinei e fiquei bêbado depois do jogo. Aquele dia foi especial”, afirmou Cristiano, que aproveitou o momento de felicidade para beber taças de champanhe.

Cristiano Ronaldo
Cristiano Ronaldo foi comparado a Jordan por atingir 2,56m de altura em gol (Foto: Marco Bertorello/AFP)

Em relação ao gol mais marcante de sua carreira, elegeu o golaço diante da sua atual equipe: o gol de bicicleta contra a Juventus, quando ainda atuava pelo Real Madrid, em 2017.

“A bicicleta contra a Juventus, todo mundo me aplaudiu, foi esplêndido (…) Hoje estou feliz na Juventus, gosto de tudo sobre o clube , que é o melhor clube da Itália, tem uma história extraordinária. Eu também amo a Itália e a cultura”, explicou.

Outra lembrança marcante em sua memória é uma partidas mais importantes de sua carreira. O amistoso que fez contra o Manchester United, quando defendia o Sporting. Por causa desse jogo, onde teve grande atuação, foi contratado pelo clube inglês.

“Lembro-me daquele amistoso contra o United, fiquei muito empolgado. Fiquei muito feliz com a maneira como joguei, foi extraordinário. No final do jogo, Sir Alex Ferguson me disse que amaria me ter em Manchester. Eu tinha 18 anos e fiquei muito feliz ”, relembrou.

Leia mais: Robertson ignora sequência pesada de jogos na Inglaterra: “somos pagos para jogar”

Nos acompanhe pelo Facebook

Deixe uma resposta