Notícias

Futebol Internacional

Opinião: Como Granit Xhaka representa o Arsenal na temporada

Mikel-Arteta-and-Granit-Xhaka-5a17

Opinião: veja como o jogador Granit Xhaka representa o Arsenal na temporada 2019/2020

No dia 27 de Outubro de 2019, em um jogo que terminou 2 a 2 contra o Crystal Palace, Granit Xhaka – até então capitão do clube – foi substituído e a torcida vaiou o jogador, que respondeu as vaias e terminou jogando a camisa do clube no chão e rompendo qualquer relação que existia com a torcida do clube. O jogador, então, foi utilizado como símbolo para mostrar tudo que havia de falho com aquela versão dos Gunners.

Vale ressaltar que a torcida já não apresentava muita paciência com o Granit Xhaka, que foi duramente criticado desde quando assumiu a faixa de capitão do clube e suas apresentações não demonstravam a insistência do técnico na titularidade absoluta alcançada pelo suíço, que falhava constantemente em momentos cruciais.

A relação da torcida com Unai Emery também era fraca, já não vinha muito bem desde o começo da temporada. Alguns reforços haviam chegados porém o time vermelho de Londres tomava cada vez mais gols e fazia cada vez menos, ficando algumas rodadas fora da primeira metade da tabela. E o episódio Xhaka foi o limite pra torcida. O treinador era visto como um projeto falho.

Alguns jogadores já demonstravam interesse na troca de comando e a desorganização em campo era visível. E o grande culpado foi considerado Granit Xhaka. O jogador poderia não ter números absurdos, mas sempre que falhava, choviam críticas. Ele também não passava por uma boa fase, é verdade, mas é difícil separar um destaque positivo daquele time que perdurou o final de dezembro.

Arsenal

 (Créditos: Reuters / Legenda: O técnico espanhol deixou o clube com apresentações sem inspiração e detestado pela torcida)

O começo de uma reconstrução, com a torcida e com o clube

O técnico espanhol, ex-PSG e Sevilla, foi demitido no dia 29 de Novembro, pouco mais de 1 mês depois do grande episódio contra o Crystal Palace. Então, o técnico interino foi anunciado, e seria o ídolo do clube, Freddie Ljunberg. O sueco teve 6 jogos no comando dos Gunners, sendo 1V-3E-2D, mostrando que ainda existiam resquícios do futebol que o clube praticava com Emery e que não seria fácil mudar.

No dia 20 de dezembro, um dia antes do último jogo de Ljunberg no comando, Mikel Arteta foi anunciado como o próximo treinador do clube. E veio com um grande currículo para seu primeiro trabalho. Ex-capitão do clube e disputado entre o próprio Arsenal e Pep Guardiola quando anunciou sua aposentadoria, o espanhol se reuniu com seu conterrâneo no Manchester City e após dois anos e meio como auxiliar de Pep Guardiola, se sentiu pronto para sua primeira aventura nessa nova função.

E após um começo difícil, empate contra Bounemouth e uma derrota contra Chelsea, o treinador alcançou uma invencibilidade, se tornando o único clube que não perdeu nenhum jogo em 2020 em solo inglês – com a única derrota vindo da UEL contra o Olimpiacos. Porém, desde o primeiro jogo o treinador mostrou suas ideias, mudou o estilo do jogo do time e mudou também a mente do torcedor.

No meio disso tudo, lá está ele de novo. Após ser dito que não jogaria mais pelo clube, e que sua venda estaria certa pra Janeiro, Granit Xhaka ficou, com o apoio do técnico espanhol, e recebeu sua segunda chance dentro do clube. Após alguns jogos sem aparecer no time titular, o suíço apareceu em campo no último jogo de Emery. Mas não mais como protagonista, era apenas mais um. E com Ljunberg,  foi titular em apenas dois jogos. Porém, não chamava mais a atenção que antes recebia, não era mais o símbolo da derrota. Essa imagem foi embora junto com Unai.

E como se encontra agora? 

Foto: Getty Images / Legenda: Contra o Chelsea, o suíço teve uma noite de Gala, no empate sofrido que os Gunners arrancaram contra seus rivais

 

E com Arteta, é como se fosse uma contratação do mercado do inverno europeu. O jogador se encaixou perfeitamente no esquema aplicado e vem se tornando um símbolo de boas atuações no clube, jogou até mesmo como zagueiro, e foi elogiado no final da partida. Hoje, Granit é um dos símbolos do Arsenal novamente, um dos que jogam com maior frequência e dificilmente tem más partidas.

No entanto, ainda tem falhas, e quando acontecem, o jogador ainda é criticado por elas. Porém hoje, as críticas são espalhadas pelo clube, assim como os elogios. E é dessa simples forma que Granit Xhaka se tornou o semblante do Arsenal na temporada. No final de novembro não se via o clube nem na disputa pela Europa, já se falava em fim de temporada, que era importante pensar no próximo ano, em um tom de desistência. Porém, com a chegada de Arteta, momentos brilhantes de Aubameyang, regularidade apresentada pela maior parte do elenco, crescimento absurdo num adaptado Nicolas Pépé. Além de uma tranquilidade e insistência de Granit Xhaka, pelo menos uma vaga na Europa já entra em questão na temporada que ainda pode ser “salva”. O Arsenal, e Granit, mudaram pra melhor.

1 comentário em Opinião: Como Granit Xhaka representa o Arsenal na temporada

  1. Texto perfeito, análise precisa e sensacional sobre a temporada do Arsenal e comparação fantástica referente ao Xhaka, que realmente é a cara temporada do time, chegou com status de querido e vive de amor e ódio com a torcida.

Deixe uma resposta