Notícias

+ Esportes

NFC West: A divisão em que pode acontecer de tudo

Arizona Cardinals v Carolina Panthers

NFC West é a divisão mais aberta da NFL atualmente?

É setembro sempre chega, e os amantes da NFL já estão esperando pelos primeiros jogos de pré-temporada que teve seu início nessa semana, com o jogo de abertura do Hall da Fama entre Baltimore Ravens e Chicago Bears.

Mas enquanto isso, vamos mais uma vez dar um panorama das divisões e falar um pouco de tudo o que aconteceu com as franquias nesse tenebroso inverno da Offseason. E desta vez, a divisão a qual destacaremos é a NFC West formada por Seattle Seahawks, San Francisco 49ers, Los Angeles Rams e Arizona Cardinals. E primeira franquia que vamos destacar é a mais antiga da NFL, o Cardinals.

Arizona Cardinals

O Arizona Cardinals passou por sérias mudanças, em especial no seu comando técnico. Após quatro anos no comando técnico, Bruce Arians com seus 65 anos, se decidiu por encerrar sua carreira na NFL. O técnico já tinha planejado seu fim de ciclo no futebol americano na temporada de 2016-2017, e que se consolidou ao fim da última temporada.

Com o cargo vago de head coach, o Cardinals começou a sua romaria em busca de um novo técnico. E o nome escolhido foi do então coordenador defensivo do Carolina Panthers, Steven Wilks. O Cardinals não quis se aventurar com estilo diferente de outro treinador, e se manteve com um que tem uma baita mente defensiva.

Fonte: Mark J. Rebilas/USA Today Sports

 

Depois da definição do novo técnico, foi à vez de ir às compras. O Arizona apesar de ter problemas com o “Salary Cap”, conseguiu adquirir peças importantes, dentre as quais pode destacar, o Guard ex-Giants Justin Pugh e o quarterback ex-Vikings Sam Bradford. Bradford chega para substituir outro recém-aposentado Carson Palmer, porém orbitam sobre Bradford, dúvidas sobre a sua real condição física, em especial o seu joelho.

No Draft, o Cardinals foi de regular pra bom. Dois nomes podem ser destacados, e mais uma vez focados para o melhor desenvolvimento do ataque. O primeiro saiu na primeira rodada, o quarterback Josh Rosen de UCLA, considerado por muitos o mais preparado QB do Draft desse ano podendo já começar na semana 1.

 

Fonte: Cards Wire/USA Today Sports

 

E com os problemas que Bradford vem tendo nos últimos anos, é bem possível que Rosen possa estrear, e quem sabe tomar a posição de titular de Bradford. O segundo nome importante do Draft do Cardinals foi do wide reciver Christian Kirk de Texas A&M. O calouro vem para ser uma válvula de escape para o veteraníssimo Larry Fitzgerald, além de ser o futuro substituto do mesmo. Agora é aguardar pra ver se o time engrena, mas sonhar com playoffs é bem difícil.

San Francisco 49ers

É as expectativas na Califórnia são enormes. Depois de algumas temporadas de fracassos, o fim de temporada passada do San Francisco 49ers deu um grande alento aos torcedores de retornar mais uma vez aos playoffs. Com boas atuações de seu novo quarterback, Jimmy Garoppolo, aliado as boas estratégias do então novo técnico do 49ers, Kyle Shanahan, o sonho de retornar a pós-temporada é bem considerável, em uma NFC tão competitiva.

Na free agency o 49ers foi pontual. Dos nomes recém chegados podemos destacar o do cornerback Richard Sherman, ex-Seahawks, do running back Jerick McKinnon e do Center ex-Giants Weston Richburg. Sherman é considerado por muitos, um dos melhores em sua posição, porém ele chega a San Francisco após uma lesão séria, um rompimento do tendão de Aquiles.

 

Fonte: Niners Wire/USA Today Sports

 

Temos que aguardar os jogos pra avaliar melhor o seu condicionamento físico e técnico. Por outro lado, McKinnon chega por cima, após ter feito uma temporada quase que impecável no Vikings, tendo 570 jardas, 51 recepções e três touchdowns. McKinnon foi um pedido de Shanahan, e assim o running back poderá ajudar e muito o ataque no 49ers, isso com toda confiança do seu head coach.

Com uma regular free agency, o Draft do 49ers não chegou no mesmo patamar. Das nove escolhas, apenas duas podem ter um potencial maior nos próximos anos. O primeiro saiu na primeira rodada, é o offensive tackle Mike McGlinchey de Notre Dame. Ele vem para ser o sucessor de Joe Staley que já tem 33 anos, além de dar uma maior proteção a Jimmy Garoppolo que é agora a maior estrela da franquia.

Fonte: San Francisco 49ers

 

O segundo bom nome escolhido pelo 49ers é do wide reciver Dante Pettis de Washington. O calouro vem pra ser mais um alvo para Garopollo e assim dar melhores estratégias de ataque à Shanahan, podendo surpreender as fortes defesas. Vamos ver se toda essa empolgação se tornará factível ao ponto do time ir aos playoffs.

Seattle Seahawks

É as coisas em Seattle chegam perto de terra arrasada. A defesa passa por muitas reformulações, em especial a secundária. Da tão famosa Legion of Boom, só sobrou o safety Earl Thomas que chegou a ser cogitado se ainda não é, a de ser trocado. Sherman foi para San Francisco e strong safety Kam Chancellor se aposentou por causa de uma lesão séria no pescoço. Além de Chancellor, outro que se aposentou foi o linerbacker Cliff Avril, que por ironia do destino se retirou da liga por causa da mesma lesão.

Não bastassem as baixas importantes na defesa, houve também perdas no ataque e a que mais vale destaque é a do tight end Jimmy Graham que agora está no Green Bay Packers. Com isso, o Seattle teve que ir até a free agency tentar tapar tantos buracos. Vamos aos nomes.

O primeiro deles é do wide reciver Brandon Marshall, ex-Giants. Marshall vem para ser mais um alvo para Russell Wilson, porém, lesões na temporada passada fizeram com que Marshall ficasse praticamente fora de todo certame. Outro jogador que chegou foi Ed Dikerson tight end ex-Panthers, para substituir Graham. Mais uma vez o nível de qualidade e talento na reposição dessa posição ficou a desejar.

Fonte: Bettina Hansen/The Seattle Times

 

Para defesa, o Seahawks trouxe Barkevious Mingo, outside linerbacker ex-Colts para substituir Avrill, e Dontae Johnson ex-49ers e que vem para disputar posição de titular na secundária tão combalida do Seahawks. Por fim, outro reforço relevante do Seattle, esse para o time de especialistas, é do kicker Sebastian Janikowski que foi dispensado do Oakland Raiders. Depois de ter dispensado Steven Hauschka que foi para o Buffalo Bills e ter se decepcionado com a contratação Blair Walsh, que já vinha mal desde o Vikings, o Seattle enfim contratou um kicker confiável e que agora tem chances de vencer nos últimos minutos.

Se a movimentação na free agency foi com a aquisição de vários jogadores, no Draft as coisas não foram tão bem assim. Dos nove escolhidos, ao menos dois, no máximo três podem ter um maior destaque. O primeiro deles saiu na primeira rodada, o running back de San Diego State, Rashaad Penny. Penny tem um potencial de talento muito grande a ser lapidado, porém o preço gasto por ele na primeira rodada pode custar muito caro.

Além de Penny, outros dois que vieram para Seattle foi o defensive end Resheen Green de USC e do linerbacker Shaquem Griffin de UCF, que é irmão do Shaquin Griffin que também esta em Seattle, mas atua como cornerback. Shaquem tem uma linda história e tanto de superação, e agora realiza um grande sonho de atuar na NFL mesmo tendo uma deficiência no braço, uma vez que Griffen não tem uma das mãos. E vale lembrar que em recentes treinamentos, Griffin conseguiu com apenas a sua única mão interceptar um passe de Russell Wilson. Vamos ver o que vai acontecer com esse início de estruturação do Seahawks, que pode nem ir aos playoffs nessa temporada próxima.

Fonte: AP Photo/Phelan M. Ebenhack

Los Angeles Rams

Os Los Angeles Rams deu um verdadeiro all in e pôs tudo a prova que tinha para buscar mais um título de Super Bowl. Na free agency, trouxe nomes fortes para a já excelente defesa e também adquiriu boas peças para seu ataque. No Draft, a movimentação não foi tão ativa assim, mas mesmo assim o Rams conseguiu pegar alguns talentos que podem ser lapidados.

Na free agency, o Rams conseguiu ótimas aquisições. Para a defesa, em especial na secundária, dois excelentes jogadores vieram, o primeiro foi Marcus Peters, cornerback ex-Chiefs. Peters estava em fim de contrato e o Chiefs não quis permanecer com ele devido a possível alta pedida na renovação de contrato.

Outro que venho pra jogar na secundária ao lado de Peters é Aquib Talib que estava no Broncos e se encontrava na mesma situação de Peters e Denver facilitou a ida de Talib para Los Angeles, aliviando assim um pouco o salary cap do Broncos. Além de Talib e Peters, o defensive end Ndamukong Suh que estava no Dolphins. Suh vem para fazer a dupla da morte com Aaron Donald e serem o terror do QBs adversários.

Fonte: Los Angeles Rams

Para o ataque, o Rams foi bem audacioso na free agency. Na busca de mais um alvo para Jared Goff, o Rams conseguiu ter o seu escolhido, o wide reciver Brandin Cooks que estava no New England Patriots. Para ter Cooks, o Rams ofereceu a primeira rodada de Draft desse ano para obter Cooks e assim  aumentar a qualidade de seus recebedores.

Se a free agency do Rams foi sensacional, o Draft, não foi do mesmo nível. Das escolhas disponíveis, podemos citar dois em especial. O primeiro é do linerbacker Obo Okoronkwo que vem de Oklahoma State e teve um ótimo desempenho na sua última temporada de college.

Já o outro nome vem para o ataque, é o running back John Kelly de Tennessee. Muitos especialistas em NFL o comparam com Alvin Kamara (e por ironia Kamara é de Tennessee) e que pode se destacar muito na próxima temporada sendo um bom alvo para quem gosta de fantasy.

 

Fonte: Rams Wire/USA Today Sports

Cada dia que passa a temporada se aproxima, e a ansiedade por jogos da NFL diminui. Que tenhamos uma baita temporada, e que seja recheada de emoções.

Roma
Clique na imagem para acessar o site

 

 

 

Deixe uma resposta