Notícias

Futebol Brasileiro

Entre lances e gol polêmico, clássico mineiro termina empatado

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Foto: Bruno Cantini (Atlético)

Cruzeiro abre o placar com um pênalti duvidoso, controla o jogo até a expulsão de Dedé após também cometer penalidade a favor do Atlético e consequentemente ceder o empate.

Na manhã deste domingo (27), Cruzeiro e Atlético protagonizaram o maior clássico de Minas no estádio do Mineirão. O duelo foi válido pela 3° rodada do Campeonato Mineiro, e teve gols marcados por Fred (CEC) e Fábio Santos (CAM).

O time Celeste saiu na frente, após o atacante Fred converter a penalidade máxima. No segundo tempo, quem teve penalidade ao seu favor foi a equipe do Galo, que consequentemente resultou no empate.

O jogo

O primeiro clássico mineiro do ano foi um jogo truncado e com poucas chances para ambas as equipes. Isso pelo fato de ainda ser início de temporada e os jogadores não estarem no seu auge físico. Além também do grande cansaço causado pelo forte calor, já que a partida foi disputada às 11h. O jogo também contou com duas expulsões e a contusão do árbitro Wanderson Alves, que teve que deixar o campo.

Arbitragem polêmica

O que realmente marcou a partida foi a arbitragem. Ambas as equipes tiveram lances para reclamar das decisões do árbitro.

O árbitro Wanderson Alves resolveu anular o gol do zagueiro cruzeirense Léo, pela falta cometida na dividida com o Elias. Em outro lance complicado, a arbitragem deixou de marcar uma penalidade, no início do jogo, no zagueiro atleticano Igor Rabello. O arbitro viu também um pênalti inexistente em cima do atacante Fred, resultando no gol do próprio centro avante cruzeirense.

Pela mesma falta de critério do pênalti não marcado em Igor Rabello, Wanderson também deixou de marcar penalidade em cima do atacante Fred. Dessa vez, a falta dentro da área realmente foi cometida pelo zagueiro atleticano.

Pouco tempo depois, o árbitro sofreu uma lesão e não conseguiu prosseguir na partida. Ele foi substituído pelo 4° árbitro Ronei Cândido. Apesar da entrada de um novo juiz, o jogo continuou quente e polêmico. Aos 37′, Ronei Cândido marcou outro pênalti, desta vez para o Atlético, resultando na expulsão de Dedé (segundo amarelo) e no gol de Fábio Santos. Aos 48′ o juiz acertou em mais um lance complicado, expulsando o volante atleticano Adilson, com o segundo amarelo, pela falta por trás em Henrique.

Crítica do presidente atleticano

Na entrevista coletiva, o presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, disparou contra a FMF e a arbitragem:

“Tivemos uma arbitragem horrorosa, tendenciosa, que nos prejudicou enormemente, deixando de dar um pênalti no Igor Rabello no primeiro tempo, marcando um pênalti inexistente. Muito estranho, porque o árbitro havia se machucado, mas ele permaneceu em campo até marcar esse pênalti inexistente. No final, quando houve aquela troca, a gente viu que não era uma questão apenas do árbitro que estava escalado para o jogo, mas de toda a arbitragem mineira, que está sendo pressionada”, afirmou o presidente.

Com o empate a equipe do Atlético fica na 3° posição com quatro pontos, podendo ser ultrapassada por outras equipes. Já o Cruzeiro, permanece na liderança com sete pontos. mas também pode ser ultrapassado por algumas equipes.

Pedro Melo (29 Posts)


Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Deixe uma resposta