Notícias

Sem categoria

Atenção atletas: cuidado com as Fake News!

Atletas

Continua circulando pelas redes sociais (carregadas de mentiras e distorções) mensagens que tentam enganar os atletas que recebem o Direito de Arena

 

Já faz algum tempo que um grupo alinhado à CBF, Federações e clubes tenta se passar por representantes de atletas para ganhar espaço, mas somente o faz através das redes sociais com narrativas distorcidas e mentiras deslavadas.

Esse mesmo grupo já tentou fundar um sindicato no município de São Paulo e teve seu pedido negado pelo Ministério do Trabalho.

São os mesmos personagens que fazem parte da diretoria que recentemente foi destituída da Federação Nacional em Assembleia, com a participação de 15 sindicatos estaduais (contra apenas 5 do grupo).

Além de não terem nenhum serviço prestado, atuam contra a categoria por interesses pessoais, não tem o mínimo de escrúpulos quando o tema é tentar reter o direito de arena dos atletas, o desviando daqueles que brigaram para conquistar e continuar mantendo esse direito.

Percebem? O foco é somente o direito de arena, único item que tem valores financeiros envolvidos.

DESTITUÍDOS DA FENAPAF

Esses senhores que espalham as fake News compõem um grupo que já foi destituído da base da Federação Nacional de Atletas Profissionais nas assembleias de 22 de fevereiro de 2021 com ratificação de posição na assembleia realizada em 02 de junho de 2021. Ali, sim, tiveram a oportunidade de se defenderem quanto às suas irregularidades, porém, não conseguiram.

Falam, descaradamente que nós não prestamos contas dos valores repassados: mentira!

Estão escondendo vários fatos, coisas que verdadeiramente ocorreram.

Vamos a elas?

Prestação de contas

Desde o tempo do tal do Bom Senso (grupo formado para que seus integrantes não ficassem desempregados) foi onde tudo começou.

Alguns atletas motivados e enganados por este grupo pediram prestação de contas ao Sindicato de São Paulo. Resultado: contas prestadas com nenhuma outra atitude posterior.

O Palmeiras, a pedido do sr. Fernando Prass (membro do morto Bom Senso, desse grupo atual destituído e do sindicato que não vingou) ajuizou uma ação na justiça do trabalho de prestação de contas cuja decisão foi favorável ao Sindicato de Atletas SP.

Não satisfeito, o mesmo grupo conseguiu se infiltrar na Federação Nacional de Atletas através da fragilidade do atual presidente, que sofre processo de destituição pelo fato de nunca ter sido jogador com contrato de trabalho registrado.

A estratégia dele é ter jogadores “famosos” para tentar validar seu mandato e seus desmandos e com isso vem enganando esses mesmos jogadores.

Apoiado pelo falso presidente, o grupo ajuizou outra ação de prestação de contas contra o Sindicato de Atletas SP. Que deu o troco pedindo prestação de contas da entidade nacional.

Resultado: a Federação Nacional de Atletas foi condenada a pagar a quantia de quatro milhões e trezentos mil reais (valores a serem corrigidos) de diferença de repasse do Direito de Arena.

ELES TE FALARAM ISSO?

O Sindicato de Atletas SP teve suas contas aprovadas e a Federação Nacional de Atletas condenada a pagar mais de 4 milhões para o sindicato paulista.

IMPORTANTE

Também, fruto de matéria plantada, no dia 09 de novembro de 2020 convidamos todos os atletas para comparecerem em nossa sede para tirarem qualquer dúvida quanto ao pagamento do direito de arena.

Naquela ocasião estavam presentes o nosso contador e o representante da empresa que audita nossas contas sendo que nenhum atleta compareceu, mostrando com essa atitude a sua satisfação quanto ao trabalho. Como já descrito aqui, isso são fatos, não fakes.

No entanto, o atleta que não tem interesse ou não procura escutar os dois lados, acaba colaborando com esse tipo de conteúdo falso.

DIREITO DE ARENA DIRETO NA FENAPAF

Em mensagem que passou a circular neste fim de semana, o grupo afirma:

“Definimos que enviaremos os valores aos sindicatos que estão regulares e cumpridores com os deveres estatutários junto a Fenapaf (Federação Nacional) (Ceará/Paraná /Alagoas/Sergipe/Rio Grande do Norte/Pernambuco).

Placar de 15 x 6 é goleada?

Aqui dá para se ter a noção quais são os únicos sindicatos que ele mantém em sua base de apoio (com relação a Sergipe há uma controvérsia interna que também se coloca contra esse grupo de aproveitadores).

Enquanto isso, os principais sindicatos do Brasil perceberam as irregularidades e estão juntos para retomar e regularizar a representatividade. São eles: São Paulo, Santa Catarina, Minas Gerais, Bahia, Goiás, Espírito Santo, Piauí, Pará, Sergipe, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Brasília, Mato Grosso do Sul, Paraíba e Maranhão, assim, numa conta de soma e subtrair percebe-se a situação real.

Outro ponto importante: dão como certo um grave problema com o sindicato de São Paulo, mas não lidam com a realidade que o tal problema é fruto de continuidade de matéria plantada por eles mesmos, cujo a discussão na justiça ainda não trouxe o veredito, e que será, com certeza, favorável ao Sindicato de Atletas SP.

Quanto a isso fica uma questão: realizamos no dia 07 de setembro de 2021 uma assembleia para discutir as questões que eles tanto dizem ser irregulares e nenhum deles apareceu. Sequer tiveram a hombridade para discutir e reiterar o que dizem através das redes sociais.

Isso porque nada que divulgam é verdade!!!!

Reproduzimos o trecho da ata da assembleia, documento oficial, para melhor esclarecimento:

“Primeiro mostrou que esse processo ajuizado contra o Sindicato de Atletas SP e sua diretoria é fruto de retaliação de um grupo quase inexistente composto por dois ex-atletas e dois advogados que pelo fato de o nosso sindicato ter voltado ao protagonismo nacional e eles se virem perdendo espaço, com isso também vendo seus interesses financeiros e pessoais se esfacelarem, criaram de forma distorcida e mentirosa, através de alguns membros da imprensa inescrupulosa, uma situação que se pretende verdadeira, mas que pela verdade não passa nem de longe pela realidade. Explicou que os dois advogados somente estão nessa porque prestaram serviços para o nosso sindicato e como suas condutas, como corroboram agora ao patrocinarem esse processo, passa muito longe de qualquer ética, portanto sem a mínima condição de pertencer ao nosso quadro de prestadores de serviços. Os dois ex-atletas, são os mesmos que figuram na diretoria de um sindicato municipal, criado no seio da Federação Paulista de Futebol, entidade patronal, para tentar enfraquecer a nossa atuação; sindicato municipal que foi impedido de existir e ser inscrito por já existir um Sindicato que abrange a mesma territorialidade e já desempenha a função, ou seja, não tem condição de representar a categoria; a tentativa de criação desse sindicato municipal se deu no exato momento em que o Sindicato de Atletas SP brigava com a FPF quando ajuizou uma ação, e conseguiu decisão favorável em âmbito liminar, para permitir que trabalhadores acima de 23 anos pudessem participar do campeonato paulista da série B e outra ação, inclusive proposta também contra a CBF, para que essas entidades patronais respeitassem o artigo da Lei 13.155/2015 e exigissem dos clubes os comprovantes dos pagamentos de salários, que os fez correr para o Supremo Tribunal Federal para tentar uma decisão que travasse suas responsabilidades quanto a melhor pratica em suas administrações, que, infelizmente, foi conseguido. Esses dois ex-atletas que também figuram na atual e fraudulenta diretoria da Federação Nacional de Atletas Profissionais, essa que estamos resgatando o protagonismo, que em duas assembleias em nível nacional, 22 de fevereiro de 2021 e 02 de junho de 2021, viram suas condições desmascaradas com a destituição do presidente dela, Fenapaf, que os apoia e em consequência toda sua diretoria. O presidente salientou que os advogados procuraram os jogadores em nome dessa diretoria destituída, porque foi para lá que eles migraram mostrando que a forma desleal de trabalho se atrai e se junta; que essa atitude já mostra a intenção dos advogados porque quem tem que ser procurado é o profissional que serve de ferramenta para a busca no judiciário de um direito e não o contrário; que os advogados na verdade estão buscando, com essa argumentação mentirosa, é a captação de clientes, questão, inclusive que será questionada no órgão específico; o presidente chamou a atenção da assistência para alguns fatos: nenhum dos jogadores que assinaram as procurações jamais participaram de uma assembleia ou fizeram qualquer questionamento de qualquer assunto ao Sindicato de Atletas SP; que sessenta e cinco atletas que assinaram as procurações não são associados; que mais de sessenta atletas se tornaram associados nesse ano, assim, fica muito estranho querer discutir questões de um período que nem figuravam no quadro associativo; que vários atletas profissionais ao perceberem que haviam entrado em um engodo já estão revogando as procurações; que vários atletas profissionais nos contataram, após assinarem as procurações, é verdade, para entender o que estava acontecendo e afirmaram categoricamente que a argumentação dos advogados para que assinassem as procurações era porque havia alguns valores ainda a serem pagos do direito de arena e, nessa conversa, ao serem questionados que se já houve alguma vez que deixaram de receber os valores devidos foi que entenderam o tamanho do embuste causado e no problema que haviam entrado; que até o momento da assembleia, o Sindicato de Atletas SP já havia recolhido para juntar no processo mais de 500 (quinhentas) declarações de apoio dos associados que, verdadeiramente, conhecem o trabalho e convivem ou conviveram no Sindicato de Atletas SP, e que esse número vai aumentar até o dia da entrega da defesa; que já agradece os presentes porque todos, sem exceção assinaram a declaração de apoio; que além das declarações de apoio dos associados, várias outras instituições e sindicatos, inclusive os de atletas de outros estados, também declararam seu apoio que também vão para a defesa no processo; além das instituições e atletas, várias autoridades que conhecem a conduta e o trabalho de perto se solidarizaram e declararam os apoios. O presidente ressaltou ainda que os jornalistas autores das matérias que deram origem para o processo estão sendo interpelados criminalmente; o presidente salientou mais uma vez que no processo não consta um documento sequer que possa provar o que alegam; salientou que, como em toda disputa política, o processo se trata de uma guerra de narrativa, mas que vai esperar os resultados para poder sair a público; lembrou que a forma como eles atuaram nesse processo é o mesmo praticado em outras circunstancias, e que nelas os resultados favoráveis couberam ao Sindicato de Atletas SP e a ele, presidente, quando obtiveram decisão favorável de reintegração na Fenapaf – ainda não cumprida, e no processo de exigir contas que foi rebatido da mesma forma que ao final trouxe duas grandes vitórias com as duas sentenças favoráveis, inclusive com a segunda condenando a Fenapaf a devolver mais de R$ 4.350.000,00 (quatro milhões, trezentos e cinquenta mil reais) aos cofres do Sindicato SP e para concluir chamou a atenção dos presentes no sentido que NENHUM dos atletas que assinaram as procurações estavam presentes que é o momento estatutário e legal ideal para que se possa discutir toda e qualquer questão referente a condução administrativa e financeira do Sindicato de Atletas SP, o que dá indícios que os atletas autores do processo, verdadeiramente, não estão questionando o trabalho e que pode confirmar o que já vem se desenhando que o trabalho foi feito pelos advogados e pelos dois ex-atletas que compõe tanto a diretoria do sindicato municipal impugnado e sem possibilidade de representação da categoria, quanto a diretoria da Fenapaf que foi destituída junto com o seu presidente. O presidente, então, depois desse resumo que deixou clara a intenção dos autores – advogados e dois ex-atletas – e do por que estão desesperados, colocou em votação as seguintes questões:

APOIO TOTAL E IRRESTRITO AO TRABALHO, AO SINDICATO E SUA DIRETORIA; CONTESTAR VEEMENTEMENTE REFUTANDO AS ALEGAÇÕES APRESENTADAS NO PROCESSO; REPUDIAR E REPROVAR A CONDUTA DOS ADVOGADOS E DOS EX-ATLETAS ENVOLVIDOS; RATIFICAR E APROVAR A GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DO SINDICATO DE ATLETAS DESDE SEU INÍCIO E PRINCIPALMENTE QUANTO AOS QUESTIONAENTOS FEITOS; APROVAR TODAS AS FORMAS DE DEFESA POSSÍVEL, SEJA EM ÂMBITO ADMINISTRATIVO OU JUDICIAL, CIVIL, TRABALHISTA E CRIMINAL; APROVAR TODAS AS FORMAS DE DEFESA ATÉ, SE FOR O CASO, COM PROPOSITURA DE AÇÕES JUDICIAIS, ABERTURA DE INQUERITOS, ETC OS PRESENTES DELIBERARAM APROVANDO TODAS AS QUESTÕES DE FORMA UNÂNIME E CALOROSA, AINDA SOLICITANDO QUE O SINDICATO DE ATLETAS SP E TODA A SUA DIRETORIA CONTINUEM COM A MESMA EXCELÊNCIA EMPREGADA NO TRABALHO PELA CATEGORIA POR SER UMA ENTIDADE QUE DE FATO SE PREOCUPA E TRABALHA PELOS ATLETAS PROFISSIONAIS.”

Reforçando o que foi tratado na assembleia, até o momento da entrega da defesa foram juntadas mais de 920 declarações de apoio daqueles que conhecem o trabalho e são responsáveis por suas atitudes e que, preservadores de seus direitos, não acreditam em fakes news.

É evidente que o ajuizamento desse processo e as matérias plantadas terão consequências, porque não se pode denegrir a imagem e manchar a reputação das pessoas desta forma.

Aliás, os jornalistas, numa interpelação criminal interposta, fugiram covardemente de qualquer resposta querendo se esconder atrás do direito de liberdade de manifestação. Lembrando que a liberdade de manifestação tem os seus limites e covardia faz parte da personalidade desse grupo.

Esse grupo que só tem causado problema para a categoria segue resistindo à entrega do cargo na Federação Nacional.

Para se ter a dimensão do prejuízo que tal resistência causa à categoria, desde março de 2021, a Federação Nacional da Atletas Profissionais de Futebol se encontra com suas contas correntes bloqueadas pelo fato de que a composição do grupo citada neste documento ter sido construída de maneira ilegal e os bancos, alertados para o fato, não permitem que eles – esses que mandam as fakes – movimentem as contas e tudo isso tem o respaldo da justiça.
O prejuízo se concentra, principalmente, no fato de os atletas profissionais não poderem receber seus valores relativos ao direito de arena. E o pior. Ainda estão sendo enganados com discursos mentirosos.

Pode se ter a ideia do que vem acontecendo ao analisar as decisões do processo Número: 0715820-14.2021.8.07.0001 – PROCEDIMENTO COMUM CÍVEL – Órgão julgador: 14ª Vara Cível de Brasília.

Outro episódio, entre tantos outros, que demonstra o menosprezo desse grupo pela categoria se vincula ao fato que, ao ser instada a dar informações em dois processos ajuizados em Minas Gerais, e ao negligenciar uma simples resposta, a Federação terá que arcar com multas que, somadas, resultam, por enquanto, a R$ 1.050.000,00 (um milhão e cinquenta mil reais).

Ou seja, tem toda a energia disposição e recursos para resistir a destituição, mas não para cumprir com seu dever de zelo pela categoria. (Processos da 19ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte – 010827-52.2016.5.03.0113 e 010827-57.2016.5.03.0113).

Novamente, isso são fatos, não fakes.

Há uma máxima que diz que aquilo uma pessoa faz em um lugar, ela faz em todos. Que a mínima atitude demonstra quem verdadeiramente ela é, e por isso pode se descrever, inclusive, todo o seu futuro.

E você? É um atleta inteligente que não deixa enganar e analisa os fatos ou se contenta com fake que pode inclusive prejudicar a sua própria vida?
A escolha é só sua.

Nós aqui continuamos o trabalho e temos muito para mostrar todos os avanços e conquistas da categoria. E os que espalham as fakes, o que eles já te mostraram além disso?

Crédito da Foto: Divulgação

Esportes Mais

Facebook Esportes Mais

Deixe uma resposta