Notícias

Futebol Internacional

Peñarol vence Nacional por 2 a 0 e aumenta sequência sem derrotas em clássicos

Peñarol_Nacional_Verao_2019

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Última vitória do Nacional sobre seu tradicional adversário ocorreu nas finais de 2016

Penãrol confirmou seu melhor momento e jogando no Estádio Centenario venceu o Nacional por 2 a 0, em jogo válido pelo Torneio de Verão 2019. Agustín Canobbio e Gabriel Fernández marcaram os gols do Peñarol. Com a vitória, os aurinegros avançam à decisão do quadrangular e enfrentarão o Barcelona de Guayaquil (Equador) na decisão nesta quarta-feira. Já o Nacional disputará o terceiro lugar contra o Cesar Vallejo do Peru.

PEÑAROL MANTÉM BASE DE 2018 E DEMONSTRA SUPERIORIDADE

Com boa parte da equipe que se sagrou campeã uruguaia 2018 em campo, Peñarol se mostrou superior ao Nacional em praticamente toda a partida. O entrosamento da equipe aurinegra fez diferença, especialmente no meio-campo. Guzmán Pereira e Walter Gargano controlaram a partida e Agustín Canobbio se tornou um transtorno para a defesa do Nacional.

Já nos tricolores, a equipe totalmente renovada não foi capaz de colocar em risco do gol defendido por Kevin Dawson. Apostando num meio-campo com apenas um marcador (Gabriel Neves), Nacional tinha dificuldades na recuperação da bola e não conseguia deixar seus atacantes em posição de finalizar com clareza.

Após as expulsões de Mejía e Estoyanoff, o domínio do Peñarol aumentou, especialmente pela saída do meia Santiago Rodríguez. Os dois gols marcados no começo do segundo tempo foram decisivos e o Nacional já não teve recursos para buscar o empate.

PROBLEMAS NA MARCAÇÃO E DESFALQUES DE ÚLTIMA HORA ATRAPALHARAM O NACIONAL

Além de estar montando uma equipe praticamente nova, Eduardo Domínguez, também estreante em clássicos, teve um desfalque de última hora. Quando a equipe já estava no ônibus que a levaria até o Estádio Centenário, Domínguez foi avisado de que o volante Cristhian Oliva tinha sido transferido para o Cagliari da Itália e não poderia disputar a partida. Sem outro volante no banco de reservas, o treinador apostou pela entrada do meia Rodrigo Amaral. Com isso, Nacional perdeu marcação no meio-campo e foi totalmente dominado pelo seu adversário.

O desfalque de Oliva somou-se ao de Marcos Angeleri, que se contundiu nos treinamentos, e de Matías Zunino, que ficou no banco de reservas também por conta de dores musculares. Assim, o treinador precisou improvisar o volante Axel Muller na lateral-esquerda, porém, ele foi substituído ainda no primeiro tempo após ser completamente superado pelo ataque do Peñarol.

Em mais uma demostração da confusão administrativa que vive o Nacional, horas antes da partida o clube percebeu que nove titulares não tinham feito a renovação do exame médico e precisaram levar os jogadores às pressas para que pudessem disputar a partida.

CONFUSÃO E EXPULSÕES MARCAM PRIMEIRO TEMPO

A rivalidade entre Peñarol e Nacional ficou exposta mesmo se tratando de um torneio amistoso. Logo na metade do primeiro tempo, o goleiro Luis Mejía impediu o gol do meia do Peñarol Fabián Estoyanoff. Na sequência do lance, o experiente meia deixou a perna em cima do goleiro panamenho e ambos se enroscaram e trocaram agressões. Após o árbitro mostrar o cartão vermelho para ambos, Mejía ainda acertou um soco no olho de Estoyanoff.

Com a expulsão de Mejía, estreou no Nacional o juvenil Guillermo Centurión, goleiro das categorias de base, que ficou conhecido quando ainda no sub 15 marcou um gol numa reposição de bola num clássico contra o Peñarol.

FICHA TÉCNICA: PEÑAROL 2×0 NACIONAL

Estádio: Centenario.

Árbitros: Gustavo Tejera, Horacio Ferreiro e César Sebastiani.

Gols: 49′ Agustín Canobbio (P), 52′ Gabriel Fernández (P).

Cartões vermelhos: 26′ Luis Mejía (N) y Fabián Estoyanoff (P).

Cartões amarelos: 23’ Rafael García (N), 64′ Matías Viña (N), 68′ Walter Gargano (P), 70′ Guillermo Cotugno (N).

PEÑAROL: Kevin Dawson; Giovanni González, Fabricio Formiliano (72′ Yeferson Quintana), Enzo Martínez, Lucas Hernández; Agustín Canobbio (90′ Ignacio Lores), Guzmán Pereira (85′ Marcel Novick), Walter Gargano, Fabián Estoyanoff; Gabriel Fernández (80′ Cristian Rodríguez), Gastón Rodríguez (67′ Rodrigo Piñeiro). Técnico: Diego López. Reservas: Thiago Cardozo, Adriano Freitas, Rodrigo Rojo, Jesús Trindade, Franco Martínez, Facundo Torres.

NACIONAL: Luis Mejía; Guillermo Cotugno, Rafael García, Matías Viña, Axel Müller (42′ Matías Zunino); Gabriel Neves (73′ Agustín Sant’ Anna), Rodrigo Amaral (61′ Joaquín Trasante), Gonzalo Castro (61′ Kevin Ramírez), Santiago Rodríguez (30′ Guillermo Centurión); Sebastián Fernández, Octavio Rivero.  Técnico: Eduardo Domínguez. Reservas:  Maximiliano Villa, Facundo Labandeira.

nico.bianchi.sica (69 Posts)

Professor de História pós graduado em Jornalismo Esportivo. Uruguaio, torcedor fanático da "Celeste" e do Nacional.


Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Deixe uma resposta