Notícias

Futebol Internacional

De Bruyne: “Eles não sabiam o que fazer”

De Bruyne

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Eleito melhor em campo, o meia belga do Manchester City foi crucial para eliminar o Brasil da Copa do Mundo

Na tarde dessa sexta-feira (6), a Bélgica enfrentou o Brasil nas quartas de final da Copa do Mundo Rússia 2018. A equipe europeia via pela frente um dos favoritos da competição. Era o primeiro desafio real da Bélgica, que nas oitavas bateu o Japão por 3 a 2.

O jogo começou equilibrado, e bem movimentado. Mas logo a Bélgica tomaria as rédeas da partida, mandando no jogo. Em escanteio logo aos 13 minutos, o grandalhão Kompany cabeçeou, a bola desviou em Fernandinho e foi parar no fundo do gol de Alisson. Em contra-ataque, aos 31, De Bruyne chutou cruzado, de fora da área, sem chances de defesa. O Brasil foi para o vestiário desnorteado.

No segundo tempo, o Brasil correu atrás do prejuízo. Foram 17 chutes ao gol, contra somente 1 da Bélgica. Renato Augusto, aos 31, subiu de cabeça para descontar para o Brasil. Graças a ótima atuação do goleiro Courtois, a seleção europeia conseguiu segurar o jogo, e se consagrou vitoriosa no confronto.

O nome do jogo, Kevin De Bruyne, deu entrevista após a partida: “Fomos muito bem taticamente. No primeiro tempo, criamos muitas chances. Eles não sabiam o que fazer. No segundo tempo eles foram melhores, mas fizemos de tudo para vencer. Foi um teste para a nossa personalidade.”

“Serei sempre o primeiro a lutar até o fim. Alcançamos algo muito bonito (semifinais). Definitivamente, não é fácil. Estando tão perto, é claro que queremos ir à final, o jogo que todo mundo estará olhando. É uma chance única na vida”, concluiu o belga.

A Bélgica volta a campo no dia 10, terça-feira, enfrentando a França, que bateu o Uruguai por 2 a 0. A partida é válida pelas semifinais da Copa do Mundo 2018.

Clique na imagem para acessar o site
Matheus Koga (78 Posts)


Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Deixe uma resposta