Notícias

Futebol Internacional

Independiente vence o Racing e Holán afirma: “O resultado é um prêmio merecido”

fernandez

A vitória enche de moral o Independiente na véspera do duelo decisivo na semifinal da sul-americana. No lado do Racing, Cocca tem continuidade ameaçada

Las fotos de Racing - Independiente
Leandro Fernandez comemora o gol da vitória. (Foto: ole.com.ar)

 

Na noite do sábado 25/11, o Rojo visitou a Academia e saiu com uma vitória por 1 a 0, cheia de temperos para deixar a conquista marcada na história do clássico e esticando o diferencial no histórico do confronto a 24 vitorias a mais, marca inédita até hoje. Com os 3 pontos o Independiente trepou à 6º colocação com 18 tentos, a 6 do líder Boca. O Racing, que vinha de derrotar o líder, permaneceu com 12 pontos na 18º posição da Superliga Argentina 2017.

Holán, treinador do Independiente, mandou ao campo o time com 1 só titular (Tagliafico), promovendo a estreia de Asís e colocando Rehak no gol para fazer o seu segundo jogo nos professionais. Cocca, treinador do time da casa, surpreendeu usando Triverio no lugar do “Licha” Lopez protelado ao banco.

Num duelo equilibrado, o time da casa teve um gol de Gonzalez anulado antes de que aos 30 minutos do primeiro tempo Leandro Fernandez ganhasse no jogo de corpo de Vittor, roubasse a bola e corresse até a área e com um chute cruzado concretasse o gol da vitória do time visitante. Aos 34, R. Moreira tomou o segundo amarelo, deixando o Rojo com um a menos. Racing tomou conta do jogo e encurralou o Independiente, mas não pôde vazar a meta Roja que ainda teve que substituir seu goleiro Rehak, que sentiu lesão na coxa, jogou 6 minutos machucado, até ser substituído por Albil que voltou ao gol do Independiente após 14 anos. Confira os melhores momentos no resumo feito pelo Fox Sports Argentina:

 

 

INDEPENDIENTE

Após o jogo, Ariel Holán declarou:

– Quando a gente ganha um clássico, a análise do conteúdo vai por panorama. Se me atenho ao resultado, estou muito feliz pelo esforço dos jogadores. Não era simples, alguns estreavam no profissional e outros não vinham jogando 90 minutos de maneira sistemática. Foi um jogo duro e importante. Tem que dar um enorme valor à vitória. Racing buscou por todos os meios, porém, está vez e para nós, a sorte esteve presente. Assim como não esteve em toda minha gestão, pois acho que teríamos que estar na Copa Libertadores, este sábado sim esteve presente.

O treinador ainda repartiu elogios para Asis e Rehak, ressaltou o espirito de Albil e Breitenbruch e jogo de Leandro Fernandez, que colocou dúvidas na cabeça do treinador para o duelo de volta da semifinal da Sul-americana, na próxima terça-feira contra o Libertad do Paraguai.

Por fim, quando consultado pela sua continuidade já que seu contrato vence no fim do ano, afirmou:

– Na terça-feira, nós jogamos uma instancia transcendental depois de anos, não posso falar de renovação comum jogo tão importante por diante. Se formos para a final, sentarei com os dirigentes para tratar disso.

O goleador da noite Leandro Fernandez declarou, ainda em campo:

– Nos entregamos 100%. Os que estrearam fizeram um grande jogo. Estou contente pelo grupo, que se merece está glória porque estamos unidos. Por sorte pude converter contra o Racing e demostrar que este é o Leandro que todos querem”. Finalizou demonstrando seu contentamento e ainda cutucando o rival: “Tínhamos escutado que viriamos com reservas, mas aqui ninguém se acha reserva. Todos somos titulares. Vou embora contente porque Avellaneda está feliz.

O Independiente já concentrou novamente com vista no jogo de volta da semifinal da Copa Sul-americana, nesta terça-feira às 22:15 hs de Brasília, no Libertadores de América que estará completamente lotado já que todos os ingressos à venda foram esgotados. O jogo de ida de foi 1 a 0 para o Libertad o Paraguai.

 

RACING

Pelo lado do time derrotado Lautaro Martinez, que foi observado por Sampaoli que foi ao estádio Juan Domingo Perón, lamentou:

– Sabia que vinha Sampaoli, mas trato de me concentrar para vencer, era um clássico, em nossa casa e com nossa gente. Eles converteram num erro nosso, depois fomos à frente, mas não convertemos a chance que criamos”. Resignado expressou: “Era empate, tínhamos que ganhar porque era um clássico. Não podemos permitir que nos ganhem na garra.

Na coletiva pós jogo, Cocca falou em tom de despedida:

– Amanhã (hoje) conversaremos com Blanco (presidente do Racing) para ver o futuro. Sou um agradecido e o último que quero é fazer-lhe mal ao clube. Temos uma boa relação e está claro que o semestre é ruim, não logramos superar-nos.

Sobre a não escalação do capitão Lisandro Lopez argumentou:

– É um ídolo e o respeito muitíssimo. A escolha foi futebolística. Quis manter o mesmo time que venceu o Boca. Tocou-lhe jogar um tempo e quem dera tivesse feito um gol. Teríamos comemorado mas não deu.

Deixe uma resposta