Notícias

Sem categoria

Jogos olímpicos Rio 2016: Natação

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Há anos, a natação se tornou um esporte tradicional entre tantos outros e pode ser considerado o mais completo por levar o atleta a exercitar o corpo inteiro durante sua prática. Desde que foi criada, no século XIII a.C., por japoneses e chineses para fins medicinais, o hábito de nadar em rios, lagos, praias e piscinas tomou proporções enormes e atualmente existem milhões de atletas pelo mundo que vivem e são reconhecidos pela natação.

As competições consistem em percorrer distâncias que variam de 50 até 1500 metros na piscina e o desafio é completar essas provas no menor tempo possível. Além das distâncias, os campeonatos alternam o estilo do nado do atleta, que podem ser quatro: crawl, costas, peito e borboleta. Também existem provas de equipe, em que os companheiros de time se revezam durante a distância percorrida, podendo mudar ou não o estilo do nado. As disputas que alteram o estilo do nado durante a execução são chamadas de nado medley, enquanto o nado livre concede ao nadador o direito de escolher qual estilo irá utilizar.

Assim como qualquer outro esporte, as categorias na natação são divididas por idade. Quando o nadador alcança oito anos, começa no pré-mirim. De nove a dez anos, disputa o mirim. Com 11 e 12 anos, a categoria petiz. Com 13 e 14, o infantil. Com 15 e 16, o juvenil. De 17 a 19, o júnior e de 20 anos adiante se torna um nadador sênior.

No Brasil, considera-se como as principais competições nacionais de natação o Troféu Maria Lenk, disputado no primeiro semestre do ano, e o Troféu José Finkel, que é realizado na segunda metade do ano. Além desses, ainda existem outros campeonatos de destaque no país, como o Sul Brasileiro, Copa Norte Nordeste e o próprio Campeonato Nacional. Os atletas brasileiros ainda disputam o Mundial de Natação, que reúne todas as categorias e nadadores internacionais.

Maria Lenk
Troféu Maria Lenk é considerado um dos maiores torneios de natação do Brasil

Olimpíadas

A natação se tornou um esporte olímpico ainda no século XIX, na primeira olimpíada da era moderna, em 1896, nos Jogos de Atenas, na Grécia. Todas masculinas, as três provas foram: 100 metros livre (ouro para Alfred Hajos, da Hungria), 500 metros livre (ouro para Paul Neumann, da Áustria) e 1200 metros livre (ouro para Hajos, da Hungria). Todas realizadas em alto mar, pois ainda não utilizavam piscinas nas olimpíadas.

Nos Jogos Olímpicos de 1912, em Estocolmo, na Suécia, piscinas foram usadas pela primeira vez nas provas de natação e houve a estreia das competições femininas no esporte. A australiana Fanny Durack foi a primeira mulher a conquistar uma medalha de ouro olímpica na natação, depois de nadar os 100 metros livre em um minuto e 22 segundos.

O Brasil já conquistou 13 medalhas na natação em Jogos Olímpicos, todas na categoria masculina. Desse total, oito foram de bronze: duas nos 50 metros livre (Fernando Scherer, em 1996, e César Cielo, em 2012), três nos 100 metros livre (Manuel dos Santos Júnior, em 1960, Gustavo Borges, em 1996, e César Cielo, em 2008), uma nos 1500 metros livre (Tetsuo Okamoto, em 1952), uma no revezamento quatro por 100 metros livre (Carlos Jayme, Edvaldo Valério, Fernando Scherer e Gustavo Borges, em 2000) e uma no revezamento quatro por 200 metros livre (Djan Madruga, Cyro Delgado, Jorge Fernandes e Marcus Mattioli, em 1980).

Foram quatro medalhas de prata: uma nos 100 metros livre (Gustavo Borges, em 1992), uma nos 200 metros livre (Gustavo Borges, em 1996) e duas nos 400 metros medley (Ricardo Prado, em 1984, e Thiago Pereira, em 2012).

A única medalha de ouro veio nos 50 metros livre, com César Cielo. Nos jogos olímpicos de Pequim, em 2008, o nadador brasileiro completou a prova em 21 segundos e ficou com o topo do pódio.

held at the National Aquatics Centre during Day 8 of the Beijing 2008 Olympic Games on August 16, 2008 in Beijing, China.
Cielo conquistou a única medalha de ouro olímpica para a natação brasileira

Jogos Olímpicos de Londres 2012

Nas olimpíadas de 2012, em Londres, a equipe de natação brasileira foi representada por 19 atletas, sendo 15 homens (Pereira, Cielo, Felipe França, Felipe Lima, Bruno Fratus, Marcelo Chierighini, Nicholas Santos, Nicolas Oliveira, Daniel Orzechowski, Kaio Márcio, Leonardo de Deus, Tales Cerdeira, Henrique Barbosa, Henrique Rodrigues e João de Lucca) e quatro mulheres (Joanna Maranhão, Daynara de Paula, Fabiola Molina e Graciele Hermann).

No masculino, além das duas medalhas conquistadas por Cielo, que foi bronze após concluir os 50 metros livre em 21 segundos e 59 décimos e Pereira, que ficou com a prata depois de nadar os 400 metros medley em quatro minutos e oito segundos, o Brasil ainda ficou com dois quartos lugares, também com Pereira, que completou os 200 metros medley em um minuto e 56 segundos e Fratus, que nadou os 50 metros livre em 21 segundos e 61 décimos. Cielo apareceu novamente nos 100 metros livre, onde ficou com a sexta colocação após concluir a prova em 47 segundos.

Thiago Pereira
Thiago Pereira foi medalha de prata na natação dos Jogos Olímpicos de Londres 2012

Já no feminino, a equipe brasileira não conquistou medalhas e a melhor colocação foi um 15º lugar conquistado por Joanna, que concluiu os 200 metros medley em dois minutos e 14 segundos. Graciele ficou com a 22ª colocação nos 50 metros livre, completando a prova em 25 segundos. Fabiola conquistou o 24º lugar nos 100 metros costas, com um tempo de um minuto e um segundo. A própria Joanna também conseguiu o 26º lugar nos 200 metros borboleta com o tempo de dois minutos e 13 segundos. Outra nadadora que conquistou a 26ª colocação foi Daynara nos 100 metros livres, concluindo a prova em 55 segundos.

Natação
Clique na imagem para acessar o site

Expectativa

A equipe brasileira de natação que disputará os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016 será composta por atletas experientes, que já disputaram outras olimpíadas, como os nadadores Guilherme Guido (Jogos Olímpicos de Pequim 2008), Pereira e Joanna (Jogos Olímpicos de Londres 2012). Mas também contará com novidades que estrearão nas olimpíadas, como é o caso da atleta Gabrielle Roncatto, de 17 anos, a mais nova no time brasileiro.

Gabrielle foi destaque no Maria Lenk pela Universidade Santa Cecília, de Santos, e com um tempo de um minuto e 59 segundos nos 200 metros medley teve o quarto melhor resultado e conquistou sua vaga nas olímpiadas. A nadadora disse que seu desempenho foi uma surpresa e se mostrou feliz por estar garantida nos Jogos Olímpicos.

– Eu não vinha de um ano muito bom. Muitos desacreditavam de mim, mas tive o apoio dos meus treinadores, Márcio Latuf e Gerson Luiz Pazian, e meu psicólogo, Henrique Carpigiani, senti que ia evoluindo a cada treino e estava feliz com meu desempenho. Quando fui para o Maria Lenk tinha treinado bem, mas estava contendo minhas expectativas, só queria dar o meu melhor. Todos me passaram energias positivas e isso me ajudou muito, a cada braçada que eu dava tinha a impressão que haviam mil pessoas nadando comigo. Não acreditei quando percebi que tinha conquistado a vaga, o choro de emoção e a comemoração da minha família é algo que me lembro um pouco todos os dias – descreveu Gabrielle.

A atleta faz parte da equipe que irá nadar o revezamento quatro por 200 metros livre nas olimpíadas e, apesar de manter os pés no chão, Gabrielle não esconde sua vontade de ter uma medalha olímpica no peito.

– Meu objetivo nos Jogos Olímpicos é disputar uma final, o que já será ótimo para a natação feminina brasileira. Mas meu grande sonho é conquistar uma medalha e se chegarmos à final nunca se sabe o que pode acontecer – afirmou a nadadora.

Gabrielle Roncatto
Gabrielle fará sua estreia nos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro 2016

A equipe de Gabrielle no revezamento quatro por 200 metros livre conta também com as atletas Jessica Carvalho, Larissa Oliveira e Manuella Lyrio.

Destaques

A seleção brasileira conta com uma equipe forte para essa edição dos Jogos Olímpicos. Além de Gabrielle, as nadadoras Joanna (nadará os 200 e 400 metros medley) e Daynara (nadará o revezamento quatro por 100 metros livre e os 100 metros borboleta) são as esperanças de uma vitória inédita, já que nunca uma brasileira conquistou uma medalha olímpica na natação.

Joanna Maranhão
Joanna também será esperança de medalha nos Jogos Olímpicos

Já no masculino, o medalhista Pereira é a grande aposta para novas medalhas brasileiras na natação. O atleta disputará sua quarta olimpíada, estando presente nas piscinas desde os Jogos Olímpicos de Atenas 2004. Em 2016, a equipe de natação brasileira sonha com a 14ª medalha olímpica da história, podendo ampliar ainda mais o quadro com um bom desempenho.

Natação
Clique na imagem para acessar o site
suporte (2043 Posts)


Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Deixe uma resposta