Notícias

Sem categoria

Rio 2016: Brasil busca milagre contra Nigéria no basquete masculino

basquete

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Brasil enfrenta a Nigéria pela última rodada do basquete masculino dependendo de uma combinação de resultados para se classificar

Brasil enfrenta a seleção nigeriana, nesta segunda-feira (dia 15), pela última rodada do grupo B do basquete masculino. Depois da decepcionante derrota para os argentinos por 111 a 107, com direito à duas prorrogações, os brasileiros estão em situação complicadíssima na competição. Precisam vencer a equipe africana que, apesar de ser o time mais fraco no grupo, conseguiu bater a Croácia por 24 pontos, e ainda torcer para a derrota de croatas e espanhóis.

Argentina e Lituânia lideram o grupo B, com vantagem para os europeus pelo confronto direto, primeiro critério de desempate. Em seguida temos Croácia e Espanha, empatadas com seis pontos, com vantagem aos croatas também pelo confronto direto. Quinto e sexto lugares vêm Brasil e Nigéria, com cinco pontos cada, mas com os brasileiros com melhor saldo de pontos.

Além de Brasil e Nigéria, teremos também Espanha contra Argentina e Lituânia contra Croácia. No melhor cenário possível, precisamos bater a seleção africana e torcer por tropeços de croatas e espanhóis.

Caso isso ocorra, Brasil, Croácia e Espanha terminarão com sete pontos cada. Pelo critério do confronto direto, os eslavos ficariam com a terceira posição pois venceram brasileiros e espanhóis na fase de grupos. Os brasileiros ficariam com a quarta e última vaga, mandando a favorita Espanha para casa.

Esse seria o melhor cenário possível, já que, como podem ver, a derrota da Croácia não é obrigatória para a classificação brasileira; basta o Brasil vencer a Nigéria e a Argentina bater a Espanha. Apesar dos diferentes cenários possíveis, o máximo que os comandados de Ruben Magnano é um quarto lugar.

Ótimo, uma vaga para a segunda fase, certo? Nem tanto porque o quarto colocado do grupo B, enfrenta o vencedor do grupo A. Seguindo a lógica, os Estados Unidos devem bater a França na tarde de domingo e devem garantir o primeiro lugar do grupo A. Portanto, se passarmos de fase, deveremos enfrentar os norte-americanos.

Verdade seja dita, o Team USA teve dificuldades nas partidas contra Austrália e Sérvia. Fica a dúvida se essa dificuldade é por falta de empenho dos jogadores ou superação dos adversários. Não serei ufanista ao ponto de dizer que venceremos os yankees na que seria uma das maiores zebras da história; se fosse ter que apostar, diria que será um jogo apertado, mas a questão física e o excesso de erros serão determinantes.

Perdemos nos detalhes contra Lituânia, Croácia e Argentina. Poderíamos ter ganho pelo menos um desses três jogos, melhorando nossa situação para essa última rodada.

Porém, olhando para o outro lado da moeda, é inadmissível que nossa seleção não tenha um esquema ofensivo claro. Apostar no inside game com o Nenê parece ser a melhor opção, mas essa não parece ser a primeira escolha pela comissão técnica. Em compensação, não temos um outside game confiável. Junto com os apagões, principalmente defensivos, é o que está matando a equipe.

Do mesmo jeito que a torcida empurra o time durante as viradas, ela mesmo parece forçar os jogadores a sempre fazer jogadas arriscadas demais quando não há necessidade, naquele ímpeto de decidir logo e fazer algo bonito para os torcedores.

Essa geração do Brasil é boa demais, com um técnico extremamente competente. Por falta de uma melhor capacidade de definir, no que é chamado nos esportes norte-americanos de “clutch gene”, perderemos (ou perdemos já) a melhor oportunidade de medalha em muito tempo.

Só espero que a CBB comece a investir realmente no basquete nacional e na formação de uma categoria de base consistente.

Por Pedro Pacola

Pedro Pacola (100 Posts)


Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Deixe uma resposta