Notícias

Entrevistas

Marco Morgon concede entrevista para o Esportes Mais

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

O brasileiro Marco Morgon conversa com o Esportes Mais sobre sua carreira

Nesta Segunda-Feira (29), o meio campo brasileiro Marco Morgon, que atualmente joga por empréstimo no Huehueteco, onde disputa a primeira divisão da Guatemala, conversou conosco do Esportes Mais.

Nascido na cidade de Santo André, em São Paulo e com apenas 27 anos de idade, Morgon é um jogador com uma carreira bem inusitada e muito otimista. Nesta entrevista conversamos sobre sua carreira, liga de futebol do exterior e brasileira, vamos começar a entrevista?

Arthur Fernandes: Marco, você já passou por diversos times da Guatemala e apresenta um bom futebol no país. Qual os times que você é considerado ídolo e porque você resolveu investir no futebol da América Central?

Marco Morgon: Sou um dos maiores artilheiros da história do Deportivo San Pedro, sem duvidas, isto me enche de orgulho. Porque é um clube que tenho muito carinho e fui capitão por muito tempo. Acho que não poderia dizer, que de fato investir ou escolhi a Guatemala, nós jogadores brasileiros infelizmente vivemos longe de uma boa realidade no Brasil, tudo é mais difícil e estranho, digamos assim. Nem sempre o melhor é o cara que vai jogar em um time grande, em 2012, quando voltei da Espanha surgiu minha primeira oportunidade de jogar na Guatemala, conversei com a minha Mãe e decidimos arriscar, fui para o Deportivo San Pedro terminei artilheiro,  fiz uma das minhas melhores temporadas, joguei no Deportivo Mictlan e fui o maior assistente da liga. Estes dois clubes a torcida tem um carinho enorme por mim, mas, se tivesse que dizer o clube que verdadeiramente abriu o caminho da minha maravilhosa história na Guatemala eu devo, sem duvidas, Deportivo San Pedro. Por qual me sinto torcedor do clube!

Arthur Fernandes: Você já teve contato com o futebol de diversos países. foi difícil para você se adaptar ao futebol de cada país? Qual foi o país que você demorou mais para se adaptar ao estilo de jogo?

Marco Morgon: Acho que todos os países que estive é mais difícil de se adaptar, do que o Brasil. No Brasil existe muitos espaços e o futebol é mais pausado, na América do Sul, Europa e América Central, o futebol é muito mais rápido, agressivo, com pouco tempo para pensar e com muita intensidade. Sem duvidas o futebol mais difícil é o chileno, eu costumava brincar que os chilenos não se cansam nunca! Eles são muitos disciplinados taticamente, jogam com muita agressividade e intensidade, é muito difícil de se adaptar.

Arthur Fernandes:  Assim como Roberto Firmino, Pedro Ribeiro e outros jogadores, você praticamente foi revelado no Exterior e isso de certa forma faz com que você seja “desconhecido” em seu país. Na sua opinião, quem investe nessa carreira no exterior tem que descartar qualquer possibilidade de convocação para a seleção?

Marco Morgon: Acho que quem investe em uma carreira no exterior, deve saber que terá dificuldades em todos os sentidos e não somente na seleção, até mesmo um retorno ao futebol brasileiro se torna muito distante. O dirigente brasileiro é desatualizado e de pouca cultura esportiva, o campeonato colombiano é a oitava melhor liga do mundo, porém, já escutei dirigente dizer que o Campeonato Carioca é mais forte do que a Série A da Colômbia. O jogador que investe em uma carreira fora do país deve estar disposto, a não somente estar longe da família, amigos e muitas outras coisas, mas, também que um retorno ao Brasil é quase impossível.

Arthur Fernandes: Você tem uma carreira bem inusitada, vivendo experiências que nem todos os jogadores profissionais vivem. Alguma pessoa já te criticou, dizendo que você não tem um bom futebol após olhar as ligas por qual você jogou? Como você lida com esse tipo de critica?

Marco Morgon: Não nego que o Fato de eu ter feito sucesso fora do país e nunca ter tido oportunidade no Brasil, seja, um tema que mexe muito comigo e com a minha família. Já tentei diversas vezes retornar ao Brasil, principalmente para atuar em campeonatos estaduais Paulista ou Carioca. Sim, escutei muitas vezes que a Liga que eu jogava era muito inferior a Liga do Brasil, quando fui campeão chileno um dirigente disse a quem me ofereceu a um clube no Brasil, que o Chile não existia no futebol. Hoje vemos o chile campeão da Copa América recentemente e ganhando do Brasil nas eliminatórias, acho que o principal problema de jogar fora do país, é que na verdade jogamos ligas tão boas ou melhores do que temos no Brasil, mas, os dirigentes brasileiros com pouco conhecimento fecham as portas aos atletas que se destacam no exterior.

Arthur Fernandes: Marco, você deve perceber que os países que estão crescendo muito no cenário do futebol, que está tendo grandes investimentos e anda atraindo muitos jogadores brasileiros é a China e os Estados Unidos. Você tem vontade de vestir a camisa de algum time desses países?

Marco Morgon: Claro. A China é o principal mercado para melhorar a parte financeira, o jogador se esconde bastante, mas, acaba solucionando sua vida. Por outro lado a MLS é um sonho e um objetivo pessoal, ainda não tive oportunidade mas se tivesse, sem duvidas, seria algo que eu teria muito interesse.

Arthur Fernandes: Eu já entrevistei e conheço a história de muitos brasileiros,que hoje atuam em ligas que são pouco conhecidas no Brasil. Muitos afirmam que escolheram jogar em um país porque queriam investir nos estudos, outros afirmam que escolheram porque iria trazer uma renda melhor e outros dizem que simplesmente aproveitou a oportunidade. Porque você optou jogar em ligas, por exemplo, a segunda divisão Chilena e a primeira divisão da Guatemala?

Marco Morgon: Acho que simplesmente tinha o sonho de jogar futebol, porém, se meu país não me permitiu realizar este meu sonho com eu gostaria, outro país me permite e me valoriza, porque não arriscar?

Arthur Fernandes: Qual foi o título mais emocionante e o mais importante para você?

Marco Morgon: Pela história e pelo tempo que San Marcos de Arica tentava subir para a primeira divisão chilena, sem duvidas, foi no Chile. Existiram muitos títulos importantes, inclusive individuais, mas este foi o que mais me marcou.

Arthur Fernandes: Sua família sempre te apoiou em suas decisões e em sua carreira?

Marco Morgon: Graças a deus posso dizer que só me tornei jogador profissional, pelo apoio incondicional da minha mãe.

Arthur Fernandes: Existe alguma possibilidade de você atuar em algum time no Brasil? Qual liga brasileira você acha que combina com o futebol que você apresenta?

Marco Morgon: Sempre existe a possibilidade, enquanto jogamos futebol buscamos sempre melhorar nossa carreira. Acredito que o futebol paulista e gaúcho eu me encaixaria mais pela intensidade destes dois estados, sou um jogador que tenho como ponto forte a velocidade e intensidade no jogo podendo, assim, utilizar estas habilidade para criar desequilíbrios.

Arthur Fernandes:  Como é a estrutura do futebol na Colômbia, Chile e Guatemala? Eles o mercado deles é aberto para todas as nacionalidades ou é algo restrito?

Marco Morgon: O futebol chileno e colombiano tem uma estrutura primeiro mundo, melhor que muitos clubes da Série A do brasileiro, já na Guatemala é uma cultura diferente, mas,  com uma boa estrutura também. O jogador brasileiro não é bem visto no futebol Sul-Americano e nem no Centro-Americano, por conta de ter fama de não ser atleta e não gostar de treinar duro, aqui nos países latinos costuma-se dizer que o brasileiro tem uma boa técnica mas pouca disciplina tática e dedicação física, nitidamente não temos mercado por aqui, são poucos os que conseguem destaque. É um mercado muito mais acessível aos uruguaios e argentinos, pela forma que jogam em seus países.

Arthur Fernandes: Marco, foi muito bom conversar e conhecer você melhor, muito obrigado por aceitar o convite de entrevista, eu e toda a equipe do Esportes Mais te desejamos bastante sorte em sua carreira. Para finalizar, Você deseja deixar algum recado para seus fãs, Família ou qualquer outra pessoa?

Marco Morgon: Gostaria de agradecer mais uma vez minha mãe, todas as pessoas que seguem minha carreira em todo mundo e me desejam muita sorte. Obrigado pela oportunidade das pessoas me conhecerem um pouco melhor!

Entrevistador: Arthur Fernandes

Matéria por: Arthur Fernandes

Arthur Fernandes (341 Posts)

Arthur Fernandes é carioca, o seu hobby é o aprendizado de idiomas e dialetos, o seu objetivo é superar o máximo de expectativas impostas e torce exclusivamente para o Orlando City.


Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Deixe uma resposta