Notícias

Entrevistas

Futsal: Leonardo Mieli – De Lins para o mundo

Leo

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Rápido, habilidoso e matador. Veja como Léo Mieli conquistou os italiano e chegou até o Catania

Leonardo Mieli, mais conhecido como Léo, é um jovem de 20 anos, natural de Lins, interior de São Paulo, e que tem o Futsal presente desde os seus primeiros anos de vida.

Aos seis anos de idade, Léo iniciou a sua trajetória em uma escolinha de Futsal em sua cidade.

Entrei na escolinha que tinha no bairro do Ribeiro, com o Treinador Carlinhos Miga. Foi um inicio onde aprendi as principais coisas que sei hoje. Tenho muito a agradecer, pois foi fundamental para minha carreira. Devo muito ao professor”, conta Léo.

Após disputar diversas competições, Léo tomou um novo rumo na carreira, passando a competir em campeonatos profissionais com a equipe da FIB, da cidade de Bauru-SP.

“Por ser a minha primeira equipe profissional, onde disputei os principais campeonatos do Brasil,  a minha passagem pela FIB Bauru foi muito boa. É um time onde tem excelentes profissionais que me ensinaram muito, então foi um aprendizado muito importante para minha carreira”, explica Léo.

Após boas atuações pela FIB, Léo recebeu um convite do Futsal Italiano, mais precisamente da equipe do Catania Calcio a 5.

“Minha negociação com o Catania acorreu através do atual treinador da equipe. Ele me viu jogando no Brasil pela FIB Bauru.  Ele também esteve presente em Lins, onde me viu disputando um campeonato da cidade e tive a oportunidade de encontra-ló pessoalmente. Foi ai que acordamos a minha transferência para o Catania”, contou o jogador.

Léo em treinamento pelo Catania (Foto: Arquivo pessoal)

Léo ainda comentou que após receber a proposta pessoalmente pelo treinador da equipe, não pensou duas vezes em ir.

“É um lugar onde todos jogadores sonham em jogar, e ainda existia outro ponto positivo, que é adquirir o passaporte italiano, a  dupla cidadania”, comentou.

Sobre a adaptação no novo país, Léo não vem sofrendo muitas dificuldades.

“Minha adaptação vem sendo muito boa. No inicio foi um pouco difícil, devido a ser um outro tipo de cultura. Mas, conforme o tempo fui me adaptando e hoje já estou bem (risos)”.

Longe dos familiares e amigos, Léo procura matar a saudade através de mensagens de texto, ligações e chamadas de vídeo. Para o jogador, esse é o ponto mais complicado, ficar longe de quem ama.

“Devido ao fuso horário que são cinco horas de diferença do brasil,  não fica muito fácil o contato, pois os horários não ajudam muito (risos). Mas, diariamente, em todo tempo livre que tenho, procuro sempre entrar em contato. A saudade é muito grande, estava acostumado a sempre estar junto com os amigos, familiares e a namorada. Não é fácil lidar com isso”, explica Léo.

Quando questionado sobre o seu ídolo no Futsal, Léo não pensa duas vezes.

“Acho que ele é ídolo de 99,9 % de todas as pessoas que gostam do futebol e Futsal em todo mundo. Alessandro Rosa Vieira, mais conhecido como Falcão (Risos)”, finalizou.

Wesley Contiero (875 Posts)

Estudante de jornalismo, 23 anos, natural de Lins, Interior de São Paulo.


Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Deixe uma resposta