Notícias

Outros

“Existia pensamentos obscuros” diz Konjuh sobre lesão que a tirou do circuito

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Em entrevista a jornal croata, Ana fala sobre lesão no cotovelo que a deixou quase um ano parada

Ana Konjuh é jovem, porém sofre em sua carreira com muitas lesões, a última que ocasionou duas cirurgias e um bom período fora das quadras.

Ela então voltou em Paris aos torneios de tênis, perdendo por 6-0 6-1 para Carla Suarez Navarro na estreia de Roland Garros. Após quase um ano fora, a jogadora sofreu com movimentação ruim e golpes fracos,  o que fez ser facilmente derrotada.

Foto: Getty Images

Konjuh também sofreu em boa parte da carreira por não conseguir ficar no peso ideal, o que causa problemas em jogos de longa duração. Ela já fez duplas com Bia Haddad Maia em Wimbledon e no US Open. Recentemente mudou o seu treinador, agora é treinada por Antonio Veic de 30 anos.

Em entrevista ao SportKlub da Croácia a jogadora falou sobre a recuperação e sobre a lesão.

Sobre Veic:

“Estou muito feliz. Ele só parou de jogar há três anos, ainda está fresco em lembrar a vida de um jogador, então ele me entende de mais. Estamos todos otimistas na equipe, há muita energia positiva e é disso que preciso neste período. “

Sobre as operações:

“Foi complicado, uma operação para outra, eu joguei duas partidas em nove meses. Elas são frustrantes, tais lesões para quem tem apenas 20 anos de idade, mas contra essas coisas não podem se abater, elas são uma parte integrante de suas carreiras, outras pessoas um pouco menos. Eu só espero que eu tenha parado com meus ferimentos e operações, e durante o intervalo eu tentei permanecer positivo e acreditar que tudo retornará ao seu lugar ”.

Ana chegou a dizer que ninguém sabia do que se tratava realmente a lesão:

“Claro que havia pensamentos obscuros, especialmente no período em que eu não sabia exatamente o que era e enquanto vagava pelo mundo com vários médicos. Ninguém foi capaz de oferecer a resposta correta para a questão do que eu era, foi especialmente frustrante, mas simplesmente não pode mudar nada – havia uma família e uma equipe inteira comigo o tempo todo, agora decidimos voltar aos preparativos e esperar coisas melhores “.

Quando perguntada por que ela acha que levará seu tempo para retornar ao melhor desempenho, Konjuh responde:

“Todo mundo está me perguntando qual é o meu próximo objetivo, mas este ano não posso ter outros objetivos além de ser saudável.” Eu faço o que amo, estou de volta ao campo e, em essência, acho que isso é satisfação suficiente, e os resultados virão mais tarde “.

Sobre a duração de sua carreira Ana falou:

“De alguma forma eu penso diferente e tenho um modo de vida diferente, mas muitos fatores precisam concordar com esses planos. Nós não podemos prever o que vai acontecer na vida, mas meu plano é jogar até uns 28 anos, depois do qual eu tenho que começar uma família e ter filhos.

Ana agora jogará o qualifying de Eastbourne com Ranking protegido. Após Eastbourne ela joga Wimbledon. Ana costuma jogar muito bem na grama onde já foi campeã com 17 anos em Nottingham em 2015.

Esportes Mais

Facebook 

Clique na imagem para acessar o site

 

 

Matheus Silva (300 Posts)

Estudante de administração, torcedor do Bahia, do Fluminense de Feira, Kansas City Chiefs, Arsenal e Colônia. Escritor em formação, 18 anos.


Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Deixe uma resposta