Notícias

Matérias Especiais

Copa do Mundo 2018: Bélgica

Grupo G – Especial Copa do Mundo

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

 Conhecido como Geração Belga, equipe tem vários jogadores que podem surpreender nesta Copa

A Seleção Belga é responsável por representar o Reino da Bélgica nas competições organizadas pela FIFA e pela UEFA. Sendo administrados pela Real Federação Belga de Futebol, são conhecidos como os Rode Duivels, ou Diables Rouges, significando Diabos Vermelhos em holandês e francês respectivamente. Também são conhecidos pelo seu apelido em inglês, Red Devils.

A Seleção, costuma mandar a maioria dos seu jogos, no Estádio Rei Balduíno, em Bruxelas, anteriormente conhecido como Estádio de Heysel. Os Red Devils já participaram de 12 Copas do Mundo e irá participar da sua 13ª em 2018, cinco Eurocopas e três Jogos Olímpicos, tendo faturado o Ouro, nos Jogos de 1920. Por outro lado, os Red Devils, nunca chegaram a participar da Copa das Confederações.

Nem 8, nem 80

Analisando o desempenho geral da Seleção Belga nas Copas, o time se demonstra inconstante, com algumas participações boas, outras ruins, e outras nas que nem se classificou. Na primeira Copa, a de 1930, vencida pelo Uruguai. Como não houveram eliminatórias, os países alinhados à FIFA foram convidados, muitos recusaram, pois seria uma longa viagem de navio. Mas a Bélgica aceitou o convite e juntou-se ao torneio com, Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Estados Unidos, França, Iugoslávia, México, Paraguai, Peru e Uruguai. Os Diabos Vermelhos, caíram no Grupo 4, com Estados Unidos e Paraguai. Não teve jeito, caíram perante os Yankees com um placar de 3-0 e contra o Paraguai, perderam de 1-0.

Na Copa de 1934, os Belgas repetiram o fracasso da Copa anterior. Logo na primeira rodada (equivalente às oitavas-de-final), perderam para a Alemanha por um placar de 5 à 2. Isso culminou na precoce eliminação dos Red Devils, que, nas suas primeiras participações fizeram campanhas escabrosas. E essa escabrosidade se repetiu na Copa de 1938, onde, mais uma vez foram eliminados no primeiro round. Les Diables Rouges, enfrentaram a França e perderam por 3 à 1, mais uma vez dando adeus de uma forma precoce à Copa do Mundo.

Em 1954, na Suíça, os Belgas foram sorteados no Grupo 4, que tinha a Inglaterra, a Suíça e a Itália. Nesta edição, os Red Devils conseguiram um feito inédito, ficar um jogo sem perder. No primeiro jogo, a Bélgica empatou de forma sofrida contra a Inglaterra, até os 45 do segundo tempo, o English Team batia a Bélgica por 4 à 3, quando, aos 49, Dickinson marcou um gol contra, fazendo com que Les Diables Rouges somassem seu primeiro ponto na história da Copa do Mundo. Porém, não adiantou de nada, os Red Devils perderiam seu próximo jogo por 4-1 contra a Itália e, mais uma vez, dariam adeus à Copa.

Primeira vitória, Maradona e quarto lugar

Depois de 16 anos sem ir à Copa, a Bélgica foi para a Copa do Mundo do México, em 1970. Neste ano, os Belgas caíram no Grupo 1, que também continha México, El Salvador e  União Soviética. A Bélgica, venceu a primeira rodada contra El Salvador, porém, contra a União Soviética, perdeu por 4 a 1. Na próxima partida, enfrentaram o anfitrião México, e, com um placar de 1-0 para os mexicanos, deram adeus à competição.

Na Copa de 1982, a Bélgica, tinha Jan Ceulemans e Jean-Marie Pfaff, que foram nomeados por Pelé na lista dos 125 melhores jogadores vivos do mundo, em 2004. A Seleção, foi sorteada para o Grupo 3, junto com Argentina, Hungria e El Salvador. Na primeira partida, eles bateram a Argentina de Mario Kempes e Diego Maradona, com uma vitória magra de 1 a 0, com gol de Vandenbergh. Na segunda partida, a Bélgica enfrentou El Salvador. Foi mais uma vitória magra de 1 a 0, com gol de Coeck.

Na próxima rodada, os Red Devils, enfrentaram a Hungria, e empataram por 1 a 1, com Varga marcando para os Húngaros e Czerniatynski empatando pros Belgas. Passando de fase, todos os times seriam realocados para outros grupos onde disputariam play-offs para passarem para o mata-mata. Seguindo este esquema, a Bélgica foi realocada para o grupo A, junto com a Polônia e com a União Soviética. A Bélgica perdeu os dois jogos, contra a Polônia por 3 a 1 e contra a União Soviética por 1 a 0, assim dando adeus à Copa.

Melhor participação, 1986

A Bélgica foi inspiradíssima para a Copa de 1986, no México. Os Diabos Vermelhos, caíram no Grupo B, com México, Paraguai e Iraque. Na primeira partida, perderam para o México, com gols de Quirarte e Sanchez para o México e Vandenbergh descontando para os Red Devils. As próximas partidas seriam contra o Iraque, vencendo por 2 a 1 e contra o Paraguai, empatando em 2 a 2, assim, pela primeira vez, passando para a fase de mata-mata da Copa do Mundo.

Nas oitavas de final, a Bélgica enfrentou a União Soviética. Belanov, com gols de Scifo, Ceulemans, Demol e Claesen para a Bélgica e hat-trick de Belanov para a União Soviética, os Belgas passaram de fase. Nas quartas de final, a Bélgica enfrentou a Espanha em Puebla. Jan Ceulemans abriu para os Red Devils, mas, Señor empatou para a Furia aos 40 do segundo tempo. Com isso a partida foi aos pênaltis e, os Belgas venceram por 5 a 4.

Na semifinal, viriam à enfrentar a Argentina, mas foram derrotados com dois gols de Maradona. Na disputa do 3º lugar, a Bélgica enfrentou a França. Ceulemans e Claesen marcaram para os Belgas,mas, Ferreri, Papin, Genghini e Amoros, garantiram o 3º lugar para os Bleus.

Em 90, os Belgas caíram no Grupo E, com Uruguai, Espanha e Coreia do Sul. Venceu seus primeiros jogos contra a Coreia por 2 à 0, por 3 à 1 contra o Uruguai, mas perdeu de 2 à 1 contra a Espanha. Nas oitavas, perdeu de 1 à 0 contra a Inglaterra. Na Copa de 94, caíram no Grupo  F, com Holanda,Arábia Saudita e Marrocos. Passou para as oitavas como 3º lugar do grupo, e enfrentou a Alemanha, perdendo por 3 à 2 e dando adeus à competição.

Na Copa de 1998, na França, a Seleção Belga decepcionou, num Grupo com Holanda, México e Coréia do Sul, foi eliminada ao empatar todos os três jogos. Em 2002, no Japão, a Bélgica, passou em 2º lugar num grupo que tinha Japão, Rússia e Tunísia. Empatou contra o Japão e contra a Tunísia, vencendo a Rússia contra 3-2. Nas oitavas, a Bélgica enfrentou a Seleção Brasileira e perdeu por 2 à 0, com gols de Rivaldo e Ronaldo Fenômeno.

Redenção e o nascimento da Geração Belga

A Bélgica viria à passar fora das Copas de 2006 e 2010, nada refletindo o desempenho de um time que já teve Jan Ceulemans no seu elenco. Mas um jogador novo tão bom quanto Jan apareceria novamente. Não só um jogador quanto uma geração inteira, De Bruyne, Lukaku, Hazard, Fellaini, Kompany, Courtois, Vertonghen, Alderweireld, e tantos outros que fazem parte da tão conhecida “Geração Belga”.

Na primeira partida no grupo H, a Bélgica enfrentou a Argélia no Mineirão e, venceu por 2-1. Feghouli, abriu o placar para os argelinos, mas, Fellaini e Mertens viraram o jogo para a Bélgica. Na segunda partida, os comandados de Marc Wilmots, passaram um perrengue, mas venceram a Rússia aos 43 minutos do segundo tempo, com gol de Origi. No fechamento da fase de grupos, os Red Devils, enfrentaram a Coréia do Sul e, com gol de Vertonghen, avançaram para o mata-mata.

Nas oitavas de final, contra os Estados Unidos, na Fonte Nova, o jogo ficou no empate sem gols e teve de ser levado à prorrogação. Aos 3 minutos da prorrogação, De Bruyne marcou para a Bélgica, com Lukaku ampliando aos 14. Jordan Green até diminuiu, mas não adiantou, os Belgas passaram de fase. Era o começo de um novo tempo. A Bélgica, nas quartas de final, enfrentou a Argentina no Mané Garrincha, em Brasília. Bastou apenas um gol de Gonzalo Higuaín para interromper a história de um time que encantou e com certeza encantará na Copa de 2018.

A estrela do time

A estrela do time da Seleção Belga, Kevin de Bruyne, começou sua carreira profissional no Genk da Bélgica, com passagens pelo Chelsea, Werder Bremen, Wolfsburg e atualmente joga no Manchester City. O meio-campista já conquistou a Liga Belga, a Copa da Bélgica e a Super Copa Belga pelo Genk. Também obteve a Copa da Alemanha e a Supercopa Alemã pelo Wolfsburg.

Já no Manchester City, o meia foi uma das peças chave para a conquista da Premier League de 2017-18, tendo conquistado também a as Copas da Liga de 2015-16 e 2017-18. De Bruyne também conta com várias honrarias individuais. Tendo sido eleito como Revelação da Bundesliga, melhor jogador da Bundesliga, Seleção da Bundesliga e foi o que mais deu assistências na Bundesliga de 2014-15. Também já foi escolhido para a Seleção da UEFA, Seleção do ano da revista France Football em 2015, entre outros prêmios individuais.

Já falando sobre sua carreira internacional, De Bruyne era apto a defender a Seleção Belga e a Seleção de Burundi, visto que sua mãe nasceu neste país. De Bruyne joga pela Bélgica desde a categoria sub-18 e, fez sua estreia pela seleção em Agosto de 2010, num amistoso contra a Finlândia, que terminou numa derrota de 1 a 0 para a Bélgica. Kevin se tornou um membro mais assíduo da seleção, nas eliminatórias da Copa de 2014. O jogador marcou um gol e fez uma assistência na Copa vencida pela Alemanha.

Quem é Roberto Martínez?

O treinador da Bélgica atualmente, é Roberto Martínez. Espanhol de 44 anos, Martínez veio em 2016 para substituir Marc Wilmots, após eliminação nas quartas-de-final da Eurocopa 2016. Como jogador, atuou como volante, destacando-se por ter ganho a Copa do Rei em 1993-94 pelo Zaragoza. Ganhou também a Quarta Divisão do futebol inglês em 1996-97, pelo Wigan.

Já como técnico, Martínez se destacou ganhando a Terceira Divisão Inglesa pelo Swansea City, em 2007-08 e pelo Wigan, conquistou a FA Cup, com um gol nos acréscimos do segundo tempo, contra o Manchester City, marcado por Ben Watson. Sendo assim, mesmo sendo rebaixado na Premier League de 2012-13, o Wigan Athletic foi para a Europa League de 2013-14. Pela seleção Belga, Martínez fez uma bela campanha nas eliminatórias, classificando o time com duas rodadas de antecedência, sendo a primeira seleção europeia a confirmar sua participação na Copa da Rússia.

Eliminatórias

Nas Eliminatórias, a Bélgica caiu no grupo H. O grupo era relativamente fácil, contendo, além da Bélgica, Bósnia e Herzegovina, Estônia, Grécia e Gibraltar. Na primeira rodada, os Red Devils foram ao Chipre enfrentar a Seleção Cipriota. Com dois gols de Lukaku e um de Carrasco, os Belgas começaram com o pé direito derrotando o Chipre por um placar elástico de 3 a 0. Na segunda rodada, a Bélgica venceu por 4 a 0, contra a Bósnia e Herzegovina com gols de Spahic contra, Hazard, Alderweireld e Lukaku.

O próximo jogo foi contra a Seleção de Gibraltar e venceu por uma goleada de 6 a 0. Na próxima rodada, os Red Devils receberam a Estônia e golearam por um placar de 8 a 1, destaque para Mertens e Lukaku. Na quinta rodada e última do primeiro turno, a Bélgica recebeu a Grécia e passou por dificuldades. Mitroglou marcou para os gregos no primeiro minuto da segunda etapa, mas, Lukaku empatou aos 44 do segundo tempo.

Na sexta rodada, a Bélgica enfrentou a Estônia e venceu por 2 a 0, com gols de Mertens e Chadli. No próximo jogo, a Bélgica recebeu a seleção de Gibraltar, e goleou por 9 a 0, destaque para Lukaku e Meunier que fizeram hat-trick. Na próxima partida, a Bélgica enfrentou a Grécia e venceu por 2 a 1. Este jogo classificou os Red Devils para a Copa do Mundo. Na penúltima rodada, os Belgas enfrentaram a Bósnia e venceram por 4 a 3. Para fechar as eliminatórias, a Bélgica recebeu o Chipre e com gols de Eden Hazard, Thorgan Hazard e Lukaku, venceram por 4 a 0.

Curiosidades

A primeira partida internacional da Seleção Belga, realizou-se em Bruxelas, em 1º de maio de 1904, no Dia do Trabalhador. Os Belgas, enfrentaram a França e a partida terminou empatada em 3 a 3. O melhor resultado que a Seleção Belga já obteve, foi contra a Zâmbia em 1994. Também já golearam San Marino por 10 a 1.

A Bélgica que conhecemos hoje, pode sumir do mapa nos próximos anos. Tudo isso ocorre por conta de diferenças culturais que existem entre a região do Flandres, ao norte, falante do holandês, e a Valônia que fala francês. Essa desavença existe porque no passado os valões tinham preconceito com a região do Flandres. Mas, hoje em dia o cenário se inverteu e o Flandres virou a região mais rica. Tudo indica que nas próximas décadas possa haver uma separação.

Estatísticas

Capital: Bruxelas

Número de habitantes: 11.350.000 (2016)

Participações em Copas: 13

Melhor participação: 1986

Time base: Courtois, Jordan Lukaku, Vertonghen, Alderweireld, Meunier, Dembélé, De Bruyne, Nainggolan, Hazard, Mertens e Lukaku.

Posição última Copa:

Posição Ranking FIFA: 3º lugar

Felipe Leonidas (42 Posts)


Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Deixe uma resposta